Rádio Observador

Caso José Sócrates

Ordem diz que Sócrates não é, nem nunca foi Engenheiro

7.909

Ordem dos Engenheiro diz que tem recebido muitas interpelações e garante: José Sócrates "não está, nem nunca esteve, inscrito na Ordem dos Engenheiros". Sócrates diz que há campanha de maledicência.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Autor
  • Nuno André Martins

A Ordem dos Engenheiros garante que José Sócrates nunca esteve inscrito na Ordem e, como tal, não pode ser tratado como tal, nem apelidado de Engenheiro. Ex-primeiro-ministro reagiu em comunicado, citado pelo DN, dizendo que se trata de uma campanha de maledicência.

Num esclarecimento publicado na sua página na Internet, datado de quinta-feira, a Ordem dos Engenheiros diz que recebeu um “número de interpelações e pedidos de informação” parte dos seus membros e outros cidadãos relativamente ao tema e relembra que cabe exclusivamente a esta associação profissional atribuir esse título.

No caso do ex-primeiro, garantem, “José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa não está, nem nunca esteve, inscrito na Ordem dos Engenheiros.

A Ordem diz ainda que não tem conhecimento de que José Sócrates alguma vez tenha usado indevidamente o título profissional de engenheiro, mas que a qualificação de Engenheiro que outros têm feito quando se referem a José Sócrates é “indevida”.

“A Ordem dos Engenheiros não tem conhecimento que o cidadão em causa tenha alguma vez utilizado indevidamente o título profissional de Engenheiro, em violação do n.º 4 do Art.º 7.º dos referidos Estatutos, mas apenas, como é público, de múltiplas situações em que a menção a esse título profissional é feita indevidamente por terceiros”, diz o esclarecimento.

Em 2015, o Ministério Público considerou ilegal a conclusão do curso de Engenharia Civil pela Universidade Independente por José Sócrates, depois de uma participação do reitor da Universidade, Rui Verde, onde pediu a sua nulidade.

Segundo o próprio Rui Verde, o Ministério Público terá considerado que a licenciatura de José Sócrates não cumpriria várias normas legais, mas acabou por não pedir a nulidade da licenciatura.

Sócrates culpa campanha de maledicência

O ex-primeiro-ministro reagiu ao esclarecimento feito pela Ordem dos Engenheiros, em declarações ao Diário de Notícias, dizendo que estas notícias “só são entendíveis no quadro da atual campanha de maledicência” contra o próprio e que nunca invocou qualquer título profissional que não lhe pertença.

Num comunicado citado pelo jornal, José Sócrates faz ainda uma lista do seu currículo académico, dizendo que é engenheiro técnico licenciado pelo ISCTE em 1979 e, mais tarde, licenciado em engenharia civil pela Universidade Independente – a mesma licenciatura considerada ilegal pelo Ministério Público mas cuja nulidade não chegou a ser pedida -, mas que nunca chegou a pedir inscrição na ordem por não exercer desde 1987.

“O título de engenheiro com que sou tratado não diz respeito a minha atividade profissional mas à minha habilitação académica”, diz o ex-primeiro-ministro.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)