Cultura

Filme-concerto de The Legendary Tigerman alterado para poder ser exibido na China

"How to become nothing", filme-concerto de The Legendary Tigerman teve de ser alterado para poder ser exibido esta semana na China.

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O filme-concerto “How to become nothing”, com banda sonora tocada ao vivo por The Legendary Tigerman (Paulo Furtado), teve de ser alterado para poder ser exibido esta semana na China, no festival cultural “This Is My City”.

De acordo com o músico Paulo Furtado, em declarações à Lusa, “cerca de 25 minutos do filme foram desfocados”. As cenas que foram desfocadas, explicou, são aquelas em que aparecem nus.

O projeto “How to become nothing” teve como ponto de partida a história de um homem que se quer tornar em nada, através de uma viagem espiritual e física pelo deserto. Durante 12 dias, Paulo Furtado fez uma viagem no deserto Joshua Tree, no estado norte-americano da Califórnia, na companhia do realizador Pedro Maia e da fotógrafa Rita Lino, inspirando-se na paisagem para compor a maioria dos temas para o novo disco.

No cine-concerto, a banda sonora é tocada ao vivo por Paulo Furtado e as imagens são manipuladas em tempo real por Pedro Maia.

O músico, em conjunto com o realizador Pedro Maia, colocou a hipótese de não exibir o filme na China, mas decidiu que seria “melhor fazê-lo [censurar] e poder falar sobre isso do que não mostrar lá o filme”. “Desfocar é uma opção que consideramos válida, em vez de cortar ou ir a negro”, disse.

A possibilidade de ter de fazer alterações ao filme, para que fosse exibido na China, já tinha passado pela cabeça do músico. “Estávamos um pouco à espera”, referiu Paulo Furtado, contando que “há três ou quatro anos houve proposta para fazer uma digressão na China e pediam que enviasse letras e outras coisas que habitualmente os promotores não pedem”.

Os portugueses The Legendary Tigerman e Beatbombers (DJ Ride e Stereossauro) atuam na sexta-feira, no espaço OCT Loft Creative District, em Shenzhen, na China continental, e no sábado, no espaço What’s Up, em Macau, a convite do This is My City — Intercity Creative Network (TIMC).

A dupla Beatbombers leva na bagagem o álbum de estreia, homónimo, editado em junho. Stereossauro (Tiago Norte) e DJ Ride (Oliveiros Tomás Oliveira) são dois DJ e produtores de hip-hop e de música eletrónica em Portugal, que trabalham juntos há cerca de dez anos. Enquanto Beatbombers, DJ Ride e DJ Stereossauro sagraram-se por duas vezes – em 2016 e 2011 – campeões mundiais de ‘scratch’ e ‘turntablism’, duas técnicas de manipulação de música com gira-discos e mesa de mistura.

No sábado, atuam ainda a banda eletrónica Faslane e o músico português Paulo Pereira. O programa deste ano do festival TIMC inclui ainda um seminário, no sábado no espaço What’s Up, em Macau, intitulado “The Festivalization of Our Cities”. O TIMC, promovido pela associação cultural +853, realizou-se pela primeira vez em Macau em 2006.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Corrupção

Traição à pátria

Paulo de Almeida Sande

Quando nos perguntamos por que razão Portugal se arrasta na cauda da Europa parte da resposta é o BES, os Vistos Gold, o Face Oculta, o BPN, a PT, a operação Marquês, a Moderna, o Freeport, etc., etc.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site