Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Igualdade no número de dias de trabalho, mas uma grande desigualdade no pagamento. Foi o que aconteceu na regravação das cenas do filme “All the Money in the World”, depois do afastamento do ator Kevin Spacey, que foi retirado da produção depois de ter protagonizado um escândalo de assédio sexual em Hollywood.

De acordo com os jornais americanos, Michelle Williams e Mark Wahlberg terão recebido valores muito diferentes por cerca de nove a dez dias de novas gravações. O ator recebeu milhão e meio de dólares (cerca 837 mil euros), enquanto a atriz Michelle Williams, que foi distinguida com o Globo de Ouro pela prestação no filme, recebeu menos de mil dólares (aproximadamente 837 euros) pelo total das cenas regravadas.

A regravação teve lugar em novembro do ano passado. Voltar a rodar algumas cenas do filme teve um custo de 10 milhões de dólares no total, de acordo com o site Vulture. O produtor do filme, Ridley Scott, fez um esforço no sentido de substituir Kevin Spacey pelo ator Christopher Plummer, mas nunca mencionou os pagamentos que seriam feitos aos restantes atores. Scott chegou a referir ao USA Today, no entanto, que todo o elenco, exceto Plummer, tinha regravado as cenas sem receber nenhum extra.

[o trailer de “All the Money in the World”, que se estreia em Portugal a 8 de fevereiro]

A notícia foi avançada primeiro pelo Washington Post, em novembro passado, e esta semana o USA Today terá confirmado os valores em causa. A revista Time cita uma fonte próxima da produção que diz que a Sony, empresa distribuidora do filme, não esteve envolvida nas negociações para os pagamentos de cada um dos atores, e que nenhum dos representante dos atores comentou esta situação.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Desde que esta polémica se tornou pública têm chovido críticas na indústria do cinema, através das redes sociais, sobretudo por parte de outros atores. A atriz Jessica Chastain pede que seja vista a prestação da atriz Michelle Williams e o produtor de televisão Ken Tremendous sublinha que a atriz em causa, e não só, deram o seu tempo para que fossem regravadas as cenas das quais teve de sair Kevin Spacey, mas que Mark Wahlberg acaba por receber depois mais de um milhão de dólares.

O jornal americano Washington Post refere também que Wahlberg e o manager do ator têm fama de “ferozes negociadores”, e que o dinheiro exigido pelo trabalho em “Deepwater Horizon” terá levado o realizador J. C. Chandor a desistir de fazer o filme de 2016 — e que foi assinado por Peter Berg.

O filme “All the Money in the World” recorda o rapto do neto de J. Paul Getty, em 1973 e é baseado no livro Painfully Rich: The Outrageous Fortunes and Misfortunes of the Heirs of J. Paul Getty, de John Pearson.