A NATO decidiu expulsar sete diplomatas russos e negar a acreditação a outros três como retaliação pelo caso do envenenamento do antigo espião, Serguei Skripal, e da sua filha no Reino Unido. A decisão, noticiada pela AFP, foi anunciada esta terça-feira pelo secretário-geral da organização, Jens Stoltenberg. Além disso, o líder da NATO anunciou ainda que a missão russa junto da organização será reduzida de 30 para apenas 20 elementos.

O secretário-geral da NATO disse ainda, em uma conferência de imprensa, que a NATO quer “enviar uma mensagem muito clara à Rússia de que as ações têm consequências”.