Relações Internacionais

Macron já chegou aos EUA. Vai discutir Síria e Irão com Trump

Espera-se que os dois presidentes falem sobre os planos de Washington quanto ao acordo nuclear com o Irão, a situação na Síria e a relação comercial entre os Estados Unidos e a União Europeia.

JIM LO SCALZO/EPA

O Presidente francês, Emmanuel Macron, chegou esta segunda-feira aos Estados Unidos para iniciar uma visita de Estado durante a qual manterá dois dias de contactos com o seu homólogo norte-americano, Donald Trump, e proferirá um discurso no Congresso. Macron é o primeiro Presidente homenageado com uma visita e um jantar de Estado nos 15 meses de Trump na Casa Branca, e espera-se que nos seus encontros falem sobre os planos de Washington quanto ao acordo nuclear com o Irão, a situação na Síria e a relação comercial entre os Estados Unidos e a União Europeia (UE).

“É uma grande honra e uma visita de Estado muito importante, dado o contexto atual”, disse o Presidente francês à imprensa ao aterrar na base aérea de Andrews, nos arredores de Washington. “Teremos a oportunidade de conversar sobre vários temas bilaterais, como a segurança e o comércio, e muitos temas multilaterais que são muito importantes além das nossas fronteiras”, disse Macron em inglês, acrescentando depois em francês que também debateria com Trump “o meio ambiente”.

O chefe de Estado francês viaja acompanhado da mulher, Brigitte, e deverão esta segunda-feira jantar com Trump e a mulher, Melania, na histórica residência do primeiro Presidente dos Estados Unidos, George Washington, conhecida como Mount Vernon e situada na Virgínia, perto de Washington. Na terça-feira, Macron terá uma reunião bilateral e uma conferência de imprensa com Trump, seguida de uma visita ao Departamento de Estado e um jantar de Estado; e na quarta-feira, o Presidente francês proferirá um discurso perante o Congresso norte-americano.

“Será uma visita de Estado muito produtiva e positiva para ambos os países”, disse esta segunda-feira a porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, na conferência de imprensa diária. “Os dois líderes têm um grande respeito mútuo, uma grande amizade”, que lhes permite terem conversações “francas”, acrescentou. Trump é o primeiro Presidente norte-americano em décadas a não convidar alguém para uma visita de Estado no seu primeiro ano no poder, e o facto de ter escolhido Macron demonstra que considera ter uma boa relação com o homólogo francês.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Relações Internacionais

A nova economia política /premium

Manuel Villaverde Cabral

A imprensa diz que o FMI foi ultrapassado pelos acontecimentos e já se identificaram os países que poderão vir a estar na linha de mira dos especuladores. A única defesa de Portugal é a União Europeia

BRICS

“Amigos” Sul-Orientais /premium

Diana Soller

Os BRICS competem por poder e valores diferentes dos ocidentais e sabem que juntos têm mais força. Daí que beneficiem da organização: dá a cada um mais força e prestígio nas suas áreas de influência.

Crónica

Episódios da política portuguesa /premium

João Marques de Almeida

Uma conversa em Belém. Outra na São Caetano à Lapa. E um telefonema por causa da Web Summit. Não se assustem: qualquer semelhança entres estes episódios e a realidade é pura coincidência.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)