O sismo de magnitude 7 que este domingo abalou a ilha indonésia de Lombok, e cujas réplicas afetaram Bali e Java, não vitimou turistas, indicou a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, citando as autoridades indonésias.

Segundo informação divulgada no Portal das Comunidades, o Ministério do Turismo indonésio e o Governo provincial de Lombok anunciaram que “não há vítimas entre os turistas que se encontram em Bali e Lombok”.

De acordo com as mesmas fontes, “houve necessidade de evacuar hotéis, e em Lombok os viajantes estrangeiros foram levados para a montanha, devido a um alerta inicial de Tsunami que não se concretizou”.

A Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas deixa ainda um conselho aos cidadãos portugueses “que estejam ali de passagem ou nas proximidades do epicentro, [para] que sigam as recomendações das autoridades locais e das unidades hoteleiras onde estejam alojados”.

Sismo de magnitude 7 abala ilha indonésia de Lombok e provoca 82 mortos

Por último, refere que “apesar de alguns danos menores, os aeroportos de Denpasar, em Bali, e de Lombok mantêm-se a operar normalmente”.

Segundo o instituto norte-americano de geofísica (USGS), o sismo teve origem a 10 quilómetros de profundidade e a 2,4 quilómetros a leste de Loloan, uma localidade no norte da ilha, tendo feito pelo menos 19 mortos entre os habitantes.

Há uma semana, outro tremor de terra de magnitude 6,4 fez 17 mortos e mais de 350 feridos em Lombok, ilha turística dominada pelo vulcão Rinjani e situada a leste de Bali, onde o sismo também foi sentido.

A Indonésia está localizada no designado “anel de fogo do Pacífico”, área de grande atividade sísmica, que regista anualmente cerca de 7.000 sismos, a maioria dos quais moderados.