Três linhas cruzadas por seis linhas, todas vermelhas, num pequeno fragmento de rocha. O desenho mais antigo do mundo tem cerca de 73 mil anos, superando assim em 30 mil anos as descobertas anteriores.

O desenho foi encontrado na gruta de Blombons, a 300 quilómetros leste da Cidade do Cabo, África do Sul. Nesta caverna já tinham sido encontrados nas últimas décadas milhares de artefactos com entre 70 e 100 mil anos.

Segundo os cientistas, o pedaço de rocha foi intencionalmente marcado com as linhas. O fragmento fazia parte de uma superfície maior que os investigadores acreditam que provavelmente continha um padrão mais complexo.

De acordo com os investigadores, esta descoberta evidencia que o Homem já era capaz de ter pensamentos abstratas antes do que até aqui era estimado. “Antes desta descoberta, arqueologos paleontólogos estavam há muito convencidos que os símbolos não ambíguos apareceram pela primeira vez quando o Homo Sapiens entrou na Europa, há cerca de 40 mil anos, e posteriormente substituíram os Neandertais locais”, disse Christopher Henshilwood, que fez parte da equipa responsável pelo achado.

A capacidade de desenhar símbolos é um marco na evolução o ser humando. Esta capacidade permitiu, mais tarde, o desenvolvimento da escrita.

https://twitter.com/BBCNewshour/status/1040325514676850688