Rádio Observador

Miguel Oliveira

“Todos seguimos o Miguel há muito tempo”. Rossi, Márquez e Lorenzo antecipam a chegada de Miguel Oliveira ao Moto GP

576

Valentino Rossi, Marc Márquez e Jorge Lorenzo elogiaram Miguel Oliveira, que em 2019 se vai juntar a todos eles no Moto GP. "Seguimos o Miguel há muito tempo", garantiram os três pilotos.

Miguel Oliveira, Jorge Lorenzo, Valentino Rossi, Marc Márquez, Andrea Dovizioso e Bradley Smith estiveram presentes na conferência de imprensa

AFP/Getty Images

Miguel Oliveira despede-se este fim de semana do Moto 2. O piloto português, que há duas semanas se sagrou vice-campeão mundial da categoria, vai saltar para o Moto GP já na próxima temporada para representar a francesa Tech 3, a equipa satélite da KTM. Mas, antes disso, falta o Grande Prémio de Valência de Moto 2: e se no título individual está tudo decidido – porque Francesco Bagnaia já é campeão mundial – na competição de construtores Miguel Oliveira ainda pode levantar um troféu.

A Red Bull KTM Ajo, a equipa do piloto natural de Almada, tem à entrada para o último GP da temporada 22 pontos de vantagem sobre a Sky Racing Team VR46, a equipa de Bagnaia – cujo dono é Valentino Rossi e segundo piloto é Luca Marini, meio-irmão do recordista piloto italiano. Na conferência de imprensa de antevisão do Grande Prémio de Valência, –  que o português já venceu por duas vezes, uma em Moto 2 e outra em Moto 3 – Miguel Oliveira garantiu que vai “lutar por esta última vitória e pelo título de equipas” mas reconheceu que “todos sonham em competir no Moto GP”.

“Espero desfrutar da prova de Valência e, acima de tudo, deixar a equipa com mais uma vitória. Este é um circuito que se adapta bem à KTM e à minha pilotagem. É a minha última corrida com a família Red Bull KTM Ajo. Foram três anos incríveis. Por um lado, estou triste por deixar esta família, uma equipa que me deu tantas vitórias e tantos pódios. Por outro, estou entusiasmado por enfrentar uma nova categoria e um novo desafio”, afirmou o piloto de 23 anos.

Durante a conferência de imprensa de antevisão da última corrida do ano, Miguel Oliveira foi ainda o tema de várias perguntas de jornalistas aos outros pilotos. E é caso para dizer que o português tem motivos para ter saído da sala de imprensa com o ego em níveis bastante saudáveis. Valentino Rossi, campeão mundial de Moto GP por sete vezes, garantiu que Oliveira foi “um grande problema durante toda a época”, já que esteve perto de roubar o título a Francesco Bagnaia, o piloto da equipa do italiano.

“Seguimos imenso o Oliveira este ano. É muito forte, é rápido e pode ser um grande piloto de Moto GP porque pode ganhar e ao mesmo tempo nunca comete erros. Este ano não fez qualquer erro e não teve nenhuma corrida a zero. Vai ser interessante tê-lo a ele e ao Pecco [Bagnaia] no Moto GP. Eles vão ter boas motos e podem ser fortes”, afirmou o histórico piloto de 39 anos, que já garantiu que vai continuar a competir na principal categoria de motociclismo pelo menos até 2020.

Estas frases serão particularmente especiais para o português, que já contou em várias entrevistas que cresceu a admirar Valentino Rossi. “Estive no rancho dele em Itália. Perguntava-me várias vezes porque me dava atenção, ele é o deus dos deuses das motos. Tem-se mantido no topo. Com todos os títulos e vitórias há algo especial nele que o faz querer ir mais além”, disse Miguel Oliveira.

Já Marc Marquéz, tricampeão mundial de Moto GP, recordou que Miguel Oliveira “não terminou o Moto 2 da melhor maneira” mas defendeu que o português “vai chegar bem” ao escalão principal. “Conheço o Miguel há muitos anos porque ele cresceu no campeonato espanhol e sigo-o desde então. A sua evolução foi muito boa. É muito trabalhador e quando trabalhas bem para os teus objetivos isso é meio caminho andado”, acrescentou o catalão da Repsol Honda.

Também Jorge Lorenzo, que em 2019 irá juntar-se à Honda para substituir o compatriota Dani Pedrosa – que decidiu retirar-se após 13 temporadas no Moto GP -, comentou a promoção de Miguel Oliveira ao escalão principal e destacou a importância da conquista do piloto de Almada para o desporto português. “Todos seguimos o Miguel há muito tempo. É um dos maiores talentos da sua idade. Competiu com o Maverick Viñales [no campeonato nacional espanhol]. Não conseguiu os mesmos resultados do que eles mas agora está a mostrar todo o seu talento com boas performances. É muito interessante ver um português no Moto GP. É o primeiro da história e é ótimo vê-lo evoluir. Desejo-lhe toda a sorte e uma boa carreira”, disse o piloto espanhol, também ele tricampeão mundial.

O piloto de 23 anos teve a primeira grande experiência em 125cc pela Aprilia, em 2011. Um ano depois, passou para a Suter Honda (a partir daqui em Moto 3), seguindo-se a Mahindra Racing, fazendo história ao conseguir o primeiro pódio de sempre da equipa na Malásia, a 13 de outubro. Dois anos depois, muda-se para a Red Bull KTM Ajo e tem a melhor época de sempre, com seis triunfos, três segundos lugares e o vice-campeonato de Moto 3 com 254 pontos.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)