A dois dias do fim do período de subscrição do empréstimo obrigacionista lançado pela SAD do Sporting, um grupo de personalidades do mundo empresarial e financeiro ligadas ao clube reuniu com Frederico Varandas e emitiu um manifesto onde enumera as razões que levaram à subscrição das obrigações. O conjunto de figuras do universo leonino, onde se incluem os antigos presidentes José Roquette e Filipe Soares Franco, decidiu intervir e alertar para a importância desta emissão para a realidade financeira do clube de Alvalade.

No comunicado subscrito por 20 sócios – onde além dos dois antigos presidentes se destacam os nomes de Tomás Froes, Francisco Soares dos Santos, Agostinho Abade, Tito Arantes Fontes e Júlio Rendeiro -, fica patente que “o Sporting precisa de todos – sócios e adeptos”. “Hoje somos chamados para participar no empréstimo obrigacionista. Temos a missão de o fazer. Para sermos fortes, muito fortes. Porque juntos somos imbatíveis. Sporting, somos parte”, declara o grupo de notáveis do clube de Alvalade.

Entre as justificações para a decisão, o grupo aponta para o facto de ser “vital” para o Sporting cumprir com todas as obrigações, principalmente o reembolso da anterior emissão, assim como para a prioridade que representa “garantir o natural refinanciamento da dívida e consequente estabilidade”. Também a taxa de juro “muito atrativa” e os “bons resultados” do trimestre passado e do atual – “fruto dos acordos que esta Direção já fez (Rui Patrício) e perspetiva fazer (Gelson Martins)” – são motivos invocados por este conjunto de personalidades que, num plano mais desportivo, recorda que “o Sporting está no caminho certo para vencer”, já que se encontra em 2.º lugar no campeonato, está a um ponto da qualificação para a próxima fase da Liga Europa e permanece em prova na Taça de Portugal e na Taça da Liga.

Francisco Salgado Zenha, vice-presidente do Sporting para a área financeira, afirmou que já foram subscritos 11,5 milhões de euros – ou seja, faltam 3,5 milhões de euros para que a SAD possa emitir a operação financeira, que tem um valor total de 30 milhões de euros. Em declarações à Sporting TV, Salgado Zenha explicou que “durante o fim de semana o número de investidores duplicou” e congratulou-se com a grande adesão de sócios e adeptos, acrescentando que espera que assim se mantenha até quinta-feira para que a SAD possa então receber o valor mais alto possível e dessa forma liquidar o empréstimo obrigacionista anterior.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

show more

À saída da reunião que o grupo de notáveis teve com Frederico Varandas, Tito Arantes Fontes falou em nome dos subscritores do manifesto e recordou que “a situação financeira não é complicada” e “está melhor do que há uns anos, bem melhor do que quando se fez o lançamento do último empréstimo obrigacionista”. Contudo, o presidente do Grupo Stromp apelou à “adesão em massa” porque “sempre que existiam empréstimos os sócios sempre disseram presente e é o que continuarão a fazer”.

Leia na íntegra o manifesto do grupo de notáveis do Sporting:

AS 5 RAZÕES PORQUE ESTOU A SUBSCREVER AS OBRIGAÇÕES DA SPORTING SAD 2018/2021

O Sporting precisa de todos – sócios e adeptos. Hoje somos chamados para participar no empréstimo obrigacionista. Temos a missão de o fazer. Para sermos fortes, muito fortes. Porque juntos somos imbatíveis. Sporting, somos parte.

1 – É vital para o Sporting cumprir integralmente com as todas as suas obrigações.

O Sporting Clube de Portugal é um clube exemplar, especial. No dia 26 de Novembro 2018 o Sporting SAD tem de reembolsar 30 milhões euros sobre a anterior emissão obrigacionista. Este refinanciamento, que esteve previsto para Maio 2018 e que por motivos históricos foi adiado, vai de encontro à prática comum das SAD’s de se financiarem no mercado e é um passo essencial para a sustentabilidade financeira do clube. Assim, com toda essa normalidade devemos subscrever, e muitos de nós re-subscrever, esta emissão para garantir a natural refinanciamento da dívida e consequente estabilidade do Clube.

2 – Porque a Taxa de Juro é muito atrativa e tem um prémio de mercado

A taxa de juro de 5,25% está claramente acima do prémio justo que o Sporting deveria pagar. Reflexo da situação de grande instabilidade institucional vivida no passado recente, o Sporting está a oferecer um prémio de 0,50% acima da última emissão de um clube grande.

3 – Porque o Sporting apresentou bons resultados, positivos, no Trimestre Jul/Ago/Set 2018

A situação económica do Sporting melhorou já na última apresentação trimestral de resultados, já auditados. Apresentou resultados líquidos positivos e consequentemente passou a ter capitais próprios positivos.

4 – Porque o Sporting vai ter bons resultados, positivos, no próximo Trimestre Out/Nov/Dez 2018

Fruto dos acordos que esta Direção já fez (Rui Patrício) e perspetiva fazer (Gelson Martins), jogadores formados em Alvalade, vai possibilitar que o produto da venda seja registado com uma mais-valia nas contas deste trimestre. Assim, é seguro concluir que a situação económica já positiva no trimestre anterior seja reforçada neste trimestre.

5 – Porque o Sporting está no caminho certo para vencer

E, não menos importante, o Sporting está vivo, forte. Estamos em disputa de todas as competições: no Campeonato em 2.º; na Liga Europa a 1 ponto da qualificação para nova fase e mais receitas. O Sporting está no caminho certo para vencer no futebol, existe ainda uma aposta forte na estrutura, designadamente no scouting e na formação.

Tomás Froes – sócio n.º 15.087
Francisco Soares dos Santos – sócio n.º 7157
José Roquette – sócio n.º 1650
João Viegas Soares – sócio n.º 2112
Filipe Soares Franco – sócio n.º 12.652
Paulo Paiva dos Santos – sócio n.º 7098
Agostinho Abade – sócio n.º 477
Carlos Barbosa da Cruz – sócio n.º 1882
Paulo Abreu – sócio n.º 1674
Miguel Salema Garção – sócio n.º 8432
Tito Fontes – sócio n.º 4422
Nuno Fernandes Thomaz – sócio n.º 29.726
Aureliano Neves – sócio n.º 4012
João Torres – sócio n.º 25.393
Ernesto Ferreira da Silva – sócio n.º 2388
Júlio Rendeiro – sócio n.º 4637
General Vasco Rocha Vieira – sócio n.º 47.099
Jaime Ayash – sócio n.º 1467
Filipe de Bottom – sócio n.º 37.867
Rui Garção – sócio n.º 7313
João Duque – sócio n.º 8115