Cultura

Portugueses escolhem “enfermeiro” como Palavra do Ano

2.972

"Enfermeiro" é a Palavra do Ano. Na lista final estavam dez vocábulos que estiveram a concurso até ao dia 31 de dezembro.

LUSA

Os portugueses escolheram “enfermeiro” como Palavra do Ano, com 37,8% dos votos — a votação que decorreu entre 1 e 31 de dezembro reuniu 206 mil votos válidos no site da iniciativa. Na lista final estavam dez vocábulos da língua portuguesa, divulgados no início de dezembro pelo grupo editorial que criou a iniciativa há dez anos. No final, a palavra “enfermeiro” rivalizou diretamente com “professor”, que alcançou 33,4% dos votos. No ano passado, o vocábulo escolhido foi incêndio, que recebeu 37% dos votos.

As dez palavras em competição em 2018 e as suas definições

  1. Assédio: “Movimentos como o ‘Me Too’ colocaram o tema do assédio sexual na agenda, com vários casos envolvendo figuras públicas”;
  2. Enfermeiro: “Os enfermeiros reclamam aumentos salariais, uma progressão mais rápida na carreira e a contratação de mais profissionais”;
  3. Especulação: “A especulação imobiliária atingiu níveis alarmantes nas grandes cidades e gerou um grande debate, nomeadamente sobre a polémica ‘taxa Robles’”;
  4. Extremismo: “São cada vez mais frequentes as manifestações de intolerância e radicalismo, nomeadamente no espaço europeu, o que justifica uma crescente preocupação”;
  5. Paiol: “O caso do desaparecimento das armas do paiol de Tancos conheceu desenvolvimentos surpreendentes ao longo do ano, estando ainda por esclarecer completamente”;
  6. Populismo: “O discurso marcadamente populista tomou de assalto o debate público um pouco por todo o mundo, alimentando o surgimento de movimentos e líderes políticos que já conquistaram o poder em vários países”;
  7. Privacidade: “O Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) entrou em vigor em maio de 2018 com uma série de novas medidas para defesa da privacidade dos cidadãos, na relação com empresas e instituições públicas ou privadas”;
  8. Professor: “Os professores continuam a lutar pela contabilização da totalidade do tempo de serviço prestado durante o congelamento de carreiras”;
  9. Sexismo: “Esta forma de discriminação de pessoas ou grupos com base no seu sexo tem vindo a ser crescentemente denunciada, com vários casos mediáticos a alimentarem a discussão pública e a condenação social”;
  10. Toupeira: “A suspeita de que um clube de futebol nacional dispunha de uma rede de informadores no interior do sistema de Justiça pôs em marcha a chamada ‘Operação e-toupeira’”.

A lista de palavras candidatas ao título “Palavra do Ano”, refere a Porto Editora, é “produto do trabalho permanente de observação e acompanhamento da realidade da língua portuguesa (…), através de análise de frequência e distribuição de uso das palavras e do relevo que elas alcançam”. Entre as escolhas dos linguistas da editora para a palavra de 2018 — tendo também em conta as sugestões enviadas pelos portugueses — estavam palavras como “assédio“, “extremismo“, “paiol” ou “populismo“. À semelhança do que tem acontecido em anos anteriores, todos estes vocábulos expressam bem o que aconteceu no ano transato.

A iniciativa “Palavra do Ano” foi lançada em 2009 pela Porto Editora e “tem como principal objetivo sublinhar a riqueza lexical e o dinamismo criativo da língua portuguesa, património vivo e precioso de todos os que nela se expressam, acentuando, assim, a importância das palavras e dos seus significados na produção individual e social dos sentidos com que vamos interpretando e construindo a própria vida”.

Este ano celebra-se a décima edição da votação, que teve a palavra esmiuçar, termo popularizado pelos “Gato Fedorento”, como a primeira grande vencedora em 2009. Este primeiro vocábulo foi eleito por um grupo de linguistas da Porto Editora, sendo que só no ano seguinte, em 2010, é que se começou a seguir o método de seleção de um primeiro conjunto de dez, usado até hoje.

Nesta página pode consultar todas as palavras que já marcaram os anos anteriores.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

2019 no mundo e em Portugal

Inês Domingos

Vinte anos depois do calendário, passada a crise, 2019 é o ano em que política, social e economicamente entramos realmente no novo século. Este Governo está aflitivamente impreparado para o enfrentar.

Política

O Povo é sempre o mesmo

Pedro Barros Ferreira

Trump e Bolsonaro não apareceram de gestação expontânea, antes pela sementeira criada pelos partidos e políticos que nada fazem, mas que dizem que tudo deve mudar para que, afinal, tudo fique na mesma

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)