Rádio Observador

Web Summit

Web Summit. Presidente executivo da Huawei é um dos oradores de 2019

Guo Ping, presidente executivo e do conselho de administração da Huawei, junta-se à lista de oradores da Web Summit 2019 que tem nomes como Brad Smith (Microsoft) ou Nikolay Storonsky (Revolut).

Guo Ping tem sido uma das caras da Huawei no conflito entre os EUA e a China

AFP/Getty Images

Guo Ping, presidente executivo e do conselho de administração da Huawei (em rotação), é um dos 300 oradores divulgados para a edição de 2019 da Web Summit. O responsável da empresa chinesa junta-se a nomes como Brad Smith, responsável jurídico e presidente da Microsoft, Elie Seidman, presidente executivo do Tinder, ou Marc Raibert, fundador e presidente executivo da Boston Dynamics.

A vinda do executivo chinês a Portugal é divulgada depois de ter sido anunciado que a Huawei vai abrir um centro de suporte para a Europa no Parque das Nações, para o qual vai contratar 30 engenheiros. O anúncio foi feito esta quarta-feira na conta oficial de Twitter da Web Summit.

Paddy Cosgrave, o fundador e presidente executivo da Web Summit esteve em junho na China a promover as conferências que organiza: Collision (no Canadá), Rise (em Hong Kong) e a Web Summit.

Este ano são esperadas duas novas adições ao palco principal da Web Summit, com o MoneyConf a ir para Lisboa e o Venture a ter mais um dia. A conferência vai ter também dois novos temas focados nos videojogos (gaming) e no streaming (visualização de conteúdos de vídeo em tempo real através da internet, como faz o Netflix). Em 2019 há mais novidades na lista de oradores, como Randy Freer, presidente executivo do Hulu, um dos grandes concorrentes do Netflix, Fernando Machado, responsável mundial de marketing do Burger King e Nikolay Storonsky, fundador e presidente executivo do banco digital Revolut.

A Huawei, por ser uma empresa chinesa, tem estado no centro do conflito económico entre a China e os Estados Unidos da América, que continua a decorrer. Depois de um decreto executivo dos EUA, emitido no final de maio, a proibir negócios com a Huawei, pondo a empresa numa lista negra, a desconfiança teve um forte impacto internacional nas vendas.

O embargo foi entretanto levantado após o encontro do G20, no Japão, entre os presidentes Donald Trump, pelos EUA, e Xi Jiping, da China, com norte-americanos e chineses de volta à mesa de negociações para tentarem pôr um fim à guerra comercial. Contudo, estas conversas ainda estão num impasse.

Em relação a Portugal, à semelhança daquilo que têm feito com outros países, os norte-americanos alertaram para os perigos de a Huawei poder estar a utilizar a tecnologia que vende — de infraestruturas de rede e outros produtos — como método de espionagem a favor do governo chinês. A Huawei tem, reiteradamente, negado essas acusações.

A edição de 2019 da Web Summit realiza-se de 4 a 7 de novembro no Parque das Nações, em Lisboa, na FIL. Em 2018, o Governo e a Câmara Municipal de Lisboa assinaram um acordo com Paddy Cosgrave para que a Web Summit se realize em Lisboa nos próximos 10 anos.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Inovação

Web Summit e provincianismo

Fernando Pinto Santos
118

Porque é a investigação académica tão desconsiderada em Portugal? Talvez porque moldes ou toalhas não sejam tão glamorosos como uma app com um nome estrangeiro numa conferência com o nome de Summit.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)