Em termos científicos, não faz sentido permitir que motores diesel circulem nas cidades – na realidade, em nenhum lado – se forem anteriores ao Euro 5, ou seja, 2009. Isto porque os motores a gasóleo prévios a esta data não estavam equipados com filtros de partículas, o que lhes permitia “mandar” cá para fora um dos poluentes mais nefastos dos motores diesel.

A Alemanha, talvez devido à ausência de costa marítima, vento e afins, sofre mais com a poluição ambiental urbana do que as nossas Lisboa e Porto, daí que várias cidades tenham já afastado os diesel mais antigos. Como se trata de um Estado federal, cada região terá os seus interesses, não esquecendo que Estugarda é a sede da Porsche e da Mercedes, enquanto Munique acolhe a ‘base’ da BMW.

Munique começou por tentar implementar medidas restritivas, mas uma ligeira melhoria na qualidade do ar, que nenhum cientista garante ser duradoura, serviu para que o partido no poder, o CSU, do primeiro-ministro Markus Söder, decidisse “atrasar” a limitação. Tal não deverá acontecer em Berlim e Reutlingen, com as restrições em ambas as cidades a serem esperadas para breve, de acordo com o Auto Motor und Sport.

Também Wiesbaden, desde 2016, está em vias de impedir a circulação aos motores a gasóleo, mas essa medida foi afastada. Tudo porque a cidade decidiu trocar a penalidade aos diesel pela aquisição de autocarros eléctricos e retrofits de veículos camarários – daqueles que estão obrigados a circular inúmeras horas por dia, logo sendo elevadas fontes poluidoras.

O tribunal administrativo decidiu, no Outono de 2018, que Essen e Gelsenkirchen passariam a impedir a circulação a motores diesel anteriores a Euro 4 a partir de 1 de Julho, para depois, a 1 de Setembro, serem os modelos abaixo de Euro 5 os visados. A curiosidade desta proibição é que, em Gelsenkirchen, até a auto-estrada A40 estava incluída na interdição, o que aconteceu pela primeira vez.

Em Estugarda já não circulam motores a gasóleo entre Euro 1 e Euro 4. E se os níveis de poluição continuarem a subir, os Euro 5 estão fora a partir da segunda metade de 2019. Em Bona e na Colónia, desde Abril que os Euro 4 não podem entrar no centro das cidades e, segundo as notícias mais recentes, os Euro 5 estão candidatos a reforçar a proibição a partir de Setembro.

Berlim não foge à polémica, tendo já fechado 11 zonas da cidade aos veículos a gasóleo entre Euro 1 e Euro 5, para carros e camiões. Mas as melhorias na qualidade do ar ainda não se fazem sentir, pelo que o objectivo é alargar a limitação a mais uma centena de secções. Hamburgo e Frankfurt também ponderam apertar a malha das restrições, para melhorar a qualidade do ar, à semelhança de Düsseldorf , entre muitas outras.