Debate entre Rio e Costa foi o mais visto, mas longe do duelo entre Passos e Costa de 2015

O debate entre Rio e Costa captou a atenção de 2,7 milhões de portugueses, o mais visto desta pré-campanha, mas ainda bem longe dos números de 2015 no debate que opôs António Costa a Passos Coelho.

i

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

O debate de segunda-feira entre Rui Rio e António Costa foi o mais visto até agora, nesta série de debates entre os líderes dos seis partidos com assento parlamentar que concorrem às eleições legislativas de 6 de outubro. A transmissão foi feita em simultâneo nos três canais de televisão generalista em sinal aberto, RTP1, SIC e TVI,  e teve uma audiência de 2,7 milhões de telespetadores. Não surpreende, por isso, que tenha tido uma audiência muito superior à do segundo debate mais visto — o que inaugurou a série de encontros entre os líderes — entre Jerónimo de Sousa e António Costa. Esse frente-a-frente registou uma audiência de 1,1 milhão de telespetadores.

Em termos comparativos, há quatro anos e exatamente nas mesmas circunstâncias de emissão, isto é, um simultâneo em direto das três televisões, o debate entre Passos Coelho e António Costa, em 2015, teve uma audiência de 3,4 milhões de espetadores. São mais 700 mil que o debate de segunda-feira entre António Costa e Rui Rio.

Costa, à frente nas sondagens e nas audiências

António Costa, que segue à frente nas sondagens, é também líder nas audiências dos debates deste mês. Logo depois do confronto com Jerónimo de Sousa, o debate mais visto foi o que colocou o líder do PS, pela primeira vez, frente a André Silva, o deputado único do PAN, com 1,1 milhão de telespetadores a assistir.

António Costa só não atingiu um número superior a um milhão de telespetadores nos debates com Assunção Cristas (875 mil espetadores) e com Catarina Martins (683 mil espetadores). Este campeonato, na verdade, disputava-se apenas entre Costa e Rio que partiam sempre em vantagem porque os seus debates foram todos transmitidos em sinal aberto.

Os debates que, de acordo com os números da GFK, registam números mais baixos são, naturalmente, aqueles que tiveram transmissão apenas em canal por cabo e opuseram Assunção Cristas a André Silva (na RTP3, 90 mil espetadores, o mais visto no cabo), André Silva a Catarina Martins (na SIC Notícias, 68 mil espetadores) e o primeiro frente a frente entre Assunção Cristas e Catarina Martins (na RTP3, 64 mil espetadores).

Já o debate entre Rui Rio e Assunção Cristas, os líderes dos partidos da oposição à “geringonça”, nos últimos quatro anos, foi o único que conseguiu chegar próximo aos números atingidos nos debates onde o primeiro-ministro e candidato do PS, António Costa, marcou presença, com uma audiência de 927 mil espetadores.

Do lado oposto, Catarina Martins esteve presente nos debates que geraram menos audiência: o seu confronto com Costa foi o menos visto (RTP, 683 mil espetadores), e nos canais por cabo, o debate com Cristas foi também o que registou pior audiência (RTP3, 64 mil espetadores).

Debates mais vistos foram emitidos na SIC

Entre as estações de televisão, a SIC foi a que capitalizou mais com os debates. De acordo com os dados de audiência da noite de segunda-feira, o frente-a-frente foi ali acompanhado por mais de um milhão de espetadores, contra cerca de 820 mil na RTP e 773 mil na TVI.

À parte o duelo PS/PSD, foi também ali que se realizaram os três debates mais vistos desta longa série: o que opôs António Costa a Jerónimo de Sousa (um milhão e 97 mil espetadores), o que opôs Costa a André Silva (um milhão e sessenta e cinco mil espetadores) e o debate à direita Rio/Cristas (927 mil espetadores).

Recomendamos

Populares

Últimas

A página está a demorar muito tempo.