Os Estados Unidos bombardearam cinco locais no Iraque e na Síria ligados a uma milícia xiita apoiada pelo governo iraniano, anunciou este domingo o governo norte-americano num comunicado do Departamento de Defesa.

Em resposta aos repetidos ataques do Kata’ib Hizbollah (KH) em bases iraquianas que albergam forças da coligação da Operação Inherent Resolve [OIR, operação militar norte-americana no Iraque e Síria contra o Estado Islâmico], as forças dos EUA levaram a cabo ataques defensivos de precisão contra cinco instalações do KH no Iraque e na Síria que vão diminuir a capacidade do KH de atacar no futuro as forças da coligação da OIR”, lê-se no comunicado.

Três dos locais bombardeados são no Iraque e os outros dois na Síria, tratando-se de armazéns de armamento e instalações de comando utilizadas “para planear e executar ataques contra as forças da coligação da OIR“.

O mais recente ataque desta milícia consistiu no lançamento de um rocket contra uma base perto da cidade iraquiana de Kirkuk, que resultou na morte de um cidadão norte-americano e causou ferimentos a quatro norte-americanos e dois iraquianos.

Segundo o comunicado, que é assinado pelo porta-voz do Pentágono, Jonathan Hoffman, a milícia em causa “tem uma forte ligação com a Força Quds iraniana” — força militar do regime iraniano —, de que tem recebido apoio, incluindo armamento, usado para atacar as forças internacionais que combatem o Estado Islâmico.

A nota do Pentágono avisa ainda que os Estados Unidos não vão abdicar de “exercer o seu direito de auto-defesa” e sublinha que o Irão e o KH devem “cessar os seus ataques contra os EUA e as forças da coligação, e respeitar a soberania do Iraque, para evitar novas ações defensivas pelas forças dos EUA”.