O líder da distrital de Setúbal do PSD, Bruno Vitorino, que apoiou Miguel Pinto Luz na disputa interna da liderança, afirmou este domingo que Luís Montenegro terá o seu “voto empenhado” na segunda volta.

Em declarações à Lusa, Bruno Vitorino admite que “vai ser difícil, mas é possível” uma vitória do antigo líder parlamentar do PSD no próximo sábado e manifestou-se convicto de que Setúbal – uma das duas estruturas em que Pinto Luz venceu, além de Lisboa – irá “expressar uma vontade de mudança”.

“Tenho a certeza absoluta de que, de forma esmagadora, isso irá acontecer numa segunda volta e que Setúbal irá expressar essa vontade de mudança”, afirmou Bruno Vitorino.

O líder da distrital de Setúbal recordou que foi muito crítico em relação ao primeiro mandato do atual presidente, Rui Rio, tendo manifestado, por várias vezes, publicamente “profundas divergências em relação à estratégia e forma de agir e até de dividir o partido”.

“Neste momento, a única opção que vejo em cima da mesa que representa uma mudança e alguém que pode unir o partido é de facto o Luís Montenegro, terá o meu apoio empenhado”, afirmou.

Este pode ser um apoio importante para Luís Montenegro, que no discurso de este sábado, após a primeira volta das eleições internas para presidente do PSD, piscou o olho aos apoiantes de Miguel Pinto Luz, notando que Rui Rio não teve maioria porque a maioria expressou um desejo de mudança.

Rui Rio venceu as eleições diretas de sábado com 49,44% dos votos expressos, segundo os resultados provisórios divulgados pelo Conselho de Jurisdição Nacional, mas não conseguiu a maioria absoluta dos votos expressos, pelo que terá que disputar uma segunda volta com Luís Montenegro, que obteve 41,26% dos votos.

O vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais Miguel Pinto Luz ficou em terceiro, com 9,3%, e já assegurou que não irá manifestar apoio público a nenhum dos outros dois candidatos.