O homem que na terça-feira agrediu uma oficial de justiça no Tribunal de Matosinhos fica sujeito a apresentações periódicas às autoridades, determinou esta quarta-feira um juiz de instrução criminal.

O arguido é um cidadão estrangeiro que ia ser julgado por crimes de maus-tratos a animais, numa diligência que acabou adiada, segundo o coordenador Regional do Porto do Sindicato dos Funcionários Judiciais, Manuel Sousa. De acordo com a fonte, o agressor usou um telemóvel para fotografar, dentro do tribunal, testemunhas do processo em que era arguido. O segurança advertiu-o da ilegalidade do ato e teve de lhe retirar o telemóvel, que confiou à guarda da oficial de justiça. Ao ver passar a funcionária, o homem exigiu-lhe a devolução do aparelho, bateu-lhe na cabeça e apertou-lhe os pulsos, causando-lhe hematomas.

Este caso acontece cerca de duas semanas depois de uma juíza e de uma procuradora do Ministério Público terem sido agredidas no Tribunal de Família e Menores de Matosinhos. No dia 15 de janeiro, no âmbito de uma audiência de regulação do poder parental e, na sequência de uma agressão, uma mulher com cerca de 30 anos foi detida e conduzida às celas do tribunal de Matosinhos.