Puxar a cadeira e ocupar um lugar numa qualquer esplanada chega a causar pele de galinha. Uma comoção só interrompida pelo borrifar do desinfetante sobre a mesa. Se, por um lado, as máscaras e viseiras continuam a ser difíceis de assimilar, é igualmente verdade que comer e beber a céu aberto devolve-nos parte da vida que em tempos tivemos.

Aos poucos, a cautelosa Lisboa tem desfrutado das pequenas alegrias do desconfinamento. Agora, é altura de voltar aos sítios de sempre, mas também de retomar o velho hábito de descobrir as novidades. No Largo do Intendente, a nova esplanada não passa despercebida. Quem a montou fê-lo à francesa, com plantas à mistura e uma fachada de azulejos como pano de cena. A nova atração chama-se Palma Cantina e abriu há pouco mais de duas semanas.

A esplanada da Palma Cantina © João Porfírio/Observador

Antes sequer de ver a ementa, é o aparato à porta que convida a puxar a cadeira. Há pequenas mesas redondas, cadeiras de palhinha viradas para o largo e bancos a combinar, numa disposição semelhante às típicas esplanadas parisienses. No menu, o idioma é outro (à exceção dos croissants e do pain au chocolat). Numa carta ainda de soft opening, por isso reduzida, s influências mexicanas imperam, mas há lugar para outros sabores sul-americanos e até do Médio Oriente.

“Não há muitos espaços assim em Lisboa”, admite Margaux Marcy, proprietária e uma das mentes por trás do espaço. Refere-se a uma alternativa suficientemente versátil para servir granola caseira (6,50 euros) a partir das nove da manhã e chili con carne e margaritas até às 22h30. Os pequenos-almoços estavam em falta por estas bandas. Os petiscos de final de dia, segundo explica, precisavam de um upgrade à imperial e à tosta mista.

Além de mais uns quantos lugares sentados, no interior, este cruzamento de bar, restaurante e cafetaria tem um segredo bem guardado. Falamos de um forno a lenha, de onde saem algumas das especialidades da casa — almôndegas na caçarola com mozzarella (12 euros), a shakshuka com queijo feta e jalapeños (7,50 euros) ou as empanadas de carne (6 euros).

Em menos de um mês, já há favoritos. Os tacos de gambas e chipotle (7,50 euros) destacam-se entre os pratos mais pedidos. O queijo, o guacamole e o sortido de iguarias para picar são os reforços de final de dia, num menu dividido em três períodos. A ideia é ir acrescentando opções nas próximas semanas, sobretudo de tacos e empanadas. “São, sobretudo, coisas de que gostamos e influências das viagens que fomos fazendo. Nunca quisemos que fosse uma cozinha muito específica”, adiciona Margaux.

Empanadas, tacos e cocktails, os pratos fortes do novo restaurante do Largo do Intendente © João Porfírio/Observador

E onde há petiscos para partilhar, tem de haver uma carta de bebidas à altura. A Palma Cantina aposta todas as fichas nos cocktails. Os clássicos como a margarita (7,50 euros), o moscow mule (8 euros) e o pisco sour (8,50 euros) estão disponíveis nas versões originais, mas também com pequenas inovações à base de citrinos, hibisco e lavanda. Mezcal (9 euros) também não falta e é servido com tabasco, coentros, lima e tomate. Curiosamente, sai a qualquer hora do dia.

Recentemente recuperado, o edifício exibe azulejos da histórica Viúva Lamego. O primeiro andar funciona, para já, para arrumações. O segundo e o terceiro aguardam a chegada dos novos inquilinos — ao que parece, vai ser um espaço de cowork. Margoux e Pierre, o casal à frente do espaço, chegaram a Lisboa há três anos e meio, altura em que trocaram Paris e Bruxelas, respetivamente, por uma nova vida na capital portuguesa.

Por cá, têm já provas dadas de que conseguem montar um negócio. A Palma Cantina é o quarto espaço que abrem, o primeiro foi o Café Janis, no Cais do Sodré. Todos eles atravessam um período crítico. Sem turistas na cidade e com as normas de restrição a condicionar o funcionamento de restaurantes e cafés, o setor segue a meio gás. Ainda assim, tão têm faltado curiosos a puxar uma cadeira na nova esplanada do Intendente.

Palma Cantina
Rua da Palma, 316, Lisboa
De segunda-feira a domingo, das 9h às 23h