“Ressuscitou” na app de mensagens encriptadas Telegram um software, o DeepNude, que gerou polémica há mais de um ano e que acabou por ser retirado pelos criadores. Como em quase tudo na Internet, porém, nada é verdadeiramente eliminado e a empresa de segurança Sensity revelou que existe um canal no Telegram onde é possível enviar uma qualquer foto de uma mulher – mesmo uma fotografia normal que seja colocada nas redes sociais – e um bot trata de transformar aquela imagem numa foto sem roupa e com o rosto daquela pessoa. Segundo a Sensity, isso já aconteceu com fotos de mais de 100 mil mulheres, que não fazem ideia de que as suas imagens foram utilizadas dessa forma.

Segundo a Sensity, foram pelo menos 104.852 mulheres cujas fotos colocadas nas redes sociais foram usadas, através de um processo automático com recurso a tratamento de imagem por inteligência artificial, para criar fotos convincentes em que parecem estar nuas. Não foi revelado o nome do canal no Telegram, para evitar maior adesão, mas a Sensity sublinha que basta fazer upload de apenas uma foto de uma mulher – isso normalmente é suficiente para que o software consiga produzir uma imagem que parece real.

“Se algum dia colocou uma foto sua nas redes sociais, isso significa que essa imagem pode ser usada”, alertou, ouvido pela Forbes, Giorgio Patrini, presidente-executivo da Sensity. O especialista explica como é fácil criar a imagem falsa, bastando para isso colocar a foto numa janela de conversação numa sala de chat onde há milhares de pessoas– passado poucos momentos, é devolvida uma imagem com o mesmo rosto mas com a imagem de uma mulher nua, com a mesma fisionomia.

De acordo com o relatório, cerca de 70% das imagens utilizadas pertenciam a pessoas comuns e não a celebridades.

software DeepNude foi bloqueado pelos seus criadores, depois de ter sido noticiado por vários jornais internacionais o que estava em causa e os riscos que podiam surgir. Contudo, os criadores do software terão vendido o código-base por 30 mil dólares num mercado online que terá servido para que fosse adaptado para ser utilizado no Telegram e não através de um app.