Todos os fabricantes de automóveis europeus estão a atravessar um mau bocado. Não por terem sido atacados pala Covid-19, mas porque os seus clientes o foram. Ou, pelo menos, têm receio de vir a ser. Daí que a Daimler tenha apostado em agradecer o empenho dos seus funcionários na Alemanha, das divisões da Mercedes relacionadas com os automóveis e os camiões, que continuaram a assegurar a produção, a comercialização, o marketing e a assistência, apesar de usarem máscara e de correrem o risco de serem infectados.

Para os compensar, segundo a Automotive News, o grupo alemão preparou 165 milhões de euros, com os quais pretende “alegrar” os empregados das fábricas e escritórios, deixando de fora apenas aqueles que têm casos executivos ou de direcção, num total de 160 mil funcionários. Isto implica que cada trabalhador receba cerca de 1031€, valor que corresponde ao que denominou “corona bonus”.

O construtor não especificou os motivos que o levaram a considerar exclusivamente os empregados alemães, deixando de fora os restantes, uma vez que o grupo possui fábricas e escritórios espalhados pelos quatro cantos do mundo. Tradicionalmente, os funcionários globais da marca, o que inclui os portugueses, são incluídos na distribuição do prémio anual, com base nos resultados financeiros no final do ano.