Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Apenas alguns minutos depois de se saber que morreram 218 pessoas num só dia com Covid-19 (de longe o valor mais elevado de sempre), o primeiro-ministro foi pressionado pelos deputados a avançar com novas respostas de combate à crise sanitária no primeiro grande debate parlamentar do ano. António Costa acabou por admitir que pode mesmo não ficar por aqui, nomeadamente nas escolas, se — e é um grande se — a pandemia ganhar novos contornos.

“Se para a semana soubermos, se amanhã soubermos, se depois de amanhã soubermos, se daqui a 15 dias soubermos, por exemplo, que a estirpe inglesa se tornou dominante no nosso país, ah, muito provavelmente vamos ter mesmo de fechar as escolas e aí farei o que tenho de fazer, que é fechar as escolas”, respondeu António Costa ao deputado Adão e Silva, do PSD.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.