A produtora O Som e a Fúria vai disponibilizar online, a partir de quinta-feira, alguns dos filmes já produzidos e exibidos em festivais, de nomes como Miguel Gomes, João Nicolau e Lucrecia Martel.

Com as salas de cinema encerradas, por causa das medidas de contenção da covid-19, a produtora anunciou esta terça-feira que criou um serviço de streaming na plataforma Vimeo, de aluguer pago de filmes já produzidos — um por semana — recuperando “a tradição das estreias” às quintas-feiras.

O primeiro filme a ser disponibilizado, esta quinta-feira, é “Tabu”, longa-metragem de Miguel Gomes, premiada no festival de cinema de Berlim, em 2012, e que conquistou outros prémios, tanto da crítica como em contexto de outros festivais.

A 28 de janeiro, estará online o documentário “Volta à terra” (2014), de João Pedro Plácido.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta iniciativa de O Som e a Fúria estender-se-á até ao final de maio, contando com outros filmes como o tríptico “As mil e uma noites” (2015), de Miguel Gomes, “Cartas da guerra” (2016), de Ivo M. Ferreira, “Technoboss”, de João Nicolau, “Ruínas”, de Manuel Mozos, e “El dorado XXI” (2016), de Salomé Lamas.

Foram ainda escolhidos “Zama” (2017), da realizadora argentina Lucrecia Martel, e “9 dedos” (2017), do realizador francês F. J. Ossang.

O acesso semanal a cada um dos filmes será divulgado nas redes sociais da produtora.

As salas de cinema encerraram na sexta-feira passada, dia 15, no âmbito do segundo confinamento geral decretado para conter a propagação da pandemia da covid-19.

Em 2020, as salas de cinema também estiveram encerradas durante mais de dois meses e reabriram de forma gradual em junho, mas a assistência fixou-se em níveis muito baixos, fazendo com que se registassem perdas de mais de 75% tanto em número de espectadores como em receitas de bilheteira, comparando com 2019.