Alexei Navalny foi transferido para um hospital-prisão. Os médicos do opositor de Vladimir Putin receiam que o seu estado de saúde esteja numa situação crítica e que possa sofrer um ataque cardíaco ou falência renal a qualquer momento. O ativista russo está há três semanas em greve de fome e terá sido sujeito a tortura na prisão.

Do lado russo, a mensagem oficial é a de que está tudo bem. “Atualmente a saúde de Navalny é satisfatória, é examinado diariamente por um médico. Com o seu consentimento, foram-lhe prescritas vitaminas”, declararam em comunicado os serviços da prisão. Mas os médicos de Navalny não sabem que tipo de terapia está a ser feita ou mesmo se o ativista terá dado consentimento para isso, noticiou o jornal The Guardian.

Os apoiantes do opositor do Kremlin dizem que o estado de saúde será bem mais grave do que está a ser dado a conhecer, uma vez que a enfermaria para onde foi levado é especializada em doentes com tuberculose em estado grave. No domingo revelaram os planos para os protestos que dizem ser um dos maiores da história moderna da Rússia, noticiou a Reuters.

Navalny denuncia ameaças com “colete de forças” para ser alimentado

A comunidade internacional exige que sejam dados tratamentos médicos adequados ao homem de 44 anos e alertam a Rússia que, caso lhe aconteça alguma coisa na prisão, haverá consequências.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Comunicamos ao governo russo que o que acontecer ao Sr. Navalny sob a sua custódia é responsabilidade deles e serão responsabilizados pela comunidade internacional”, disse à CNN Jake Sullivan, conselheiro de segurança nacional do Presidente norte-americano Joe Biden.

Responsabilizamos as autoridades russas pela situação de saúde do Sr. Navalny”, disse Josep Borrell, alto representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, antes da reunião com os ministros dos Negócios Estrangeiros europeus.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Heiko Maas, também pediram que Navalny recebesse cuidados médicos imediatos. Já o Presidente francês, Emmanuel Macron, disse que é preciso definir linhas vermelhas e que se elas forem ultrapassadas haverá consequências, e não serão apenas sanções.

Médicos alertam que Navalny pode sofrer paragem cardíaca “a qualquer momento”

Alexei Navalny está em greve de fome desde 31 de março depois de lhe ser recusado tratamento médico adequado para as dores que tinha nas costas e numa perna. Depois de lhe ser oferecida assistência médica, foi Navalny a recusar, por querer ser tratado por um médico escolhido por ele, de fora das instalações. As autoridades russas não autorizaram.

Em 2020, o opositor russo quase morreu envenenado. Foi tratado na Alemanha, mas a Rússia sempre negou que tivesse havido uma tentativa de envenenamento. Foi preso quando regressou ao país e condenado a dois anos e meio de prisão.

Opositor russo Alexei Navalny é condenado a dois anos e seis meses de prisão