Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A chinesa Huawei estreia-se no sector automóvel em parceria com a compatriota BAIC e a sua nova marca Jihu, com um modelo 100% eléctrico destinado a chegar às estradas ainda em 2021. Chama-se Arcfox Alpha S e promete mais de 700 km de autonomia e nível 3 de condução autónoma, ou seja, estará preparado para libertar o condutor de grande parte das suas tarefas, ainda que a responsabilidade seja sempre de quem está atrás do volante, tudo graças à tecnologia da Huawei, que tem 5000 investigadores dedicados à tecnologia automóvel, 2000 dos quais se concentram no sistema de condução autónoma que a empresa pretende vender a outros fabricantes.

Além desses dois atributos bastante chamativos – basta recordar que o topo de gama eléctrico da Mercedes, o recentemente apresentado EQS, anuncia 770 km de autonomia em WLTP -, a estreante Huawei poucas informações fornece. Porém, é preciso ressaltar que a autonomia reclamada para o Arcfox Alpha S é estimada ainda sob o antigo e optimista método NEDC, que perde entre 20 a 25%, em termos médios, quando submetido ao crivo do actual e mais realista WLTP. É sob esse critério que o Arcfox Alpha S se apresenta aos consumidores com autonomias de 525 km, 603 km e 708 km, sempre alimentado por uma bateria de iões de lítio com 93,6 kWh de capacidade, que aceita carga rápida, bastando 10 minutos ligada à corrente para acumular energia suficiente para percorrer 197 km. Mais 5 minutos e o acumulador ficará com metade da carga, avança a companhia, sem nunca precisar o limite de potência com que o sistema está apto a recarregar (mas que feitas as contas deverá rondar os 200 kW). Sabe-se, isso sim, que a operação de recarga em corrente alterna consome, no limite, 7 horas e que o Alpha S também está preparado para o carregamento por indução – um sistema que, tradicionalmente, é vantajoso por prescindir de ligações (ideal para veículos que operem como táxis ou modelos de car-sharing), mas moroso e pouco eficiente. Daí a surpresa de se prometer, por esta via, uma eficiência acima dos 92%…

Mas, como seria de esperar, o que mais distingue esta proposta reside na tecnologia colocada ao dispor do utilizador, do infoentretenimento às ajudas à condução. Tudo isto tem o carimbo da Huawei, com o Alpha S a oferecer conexão 5G e o sistema operativo HarmonyOS (que nasceu da necessidade de ter uma alternativa ao Android), com o fabricante a garantir uma fácil sincronização do smartphone com o cockpit inteligente, podendo mesmo o pára-brisas converter-se numa tela gigante (70 polegadas) de alta definição.

Haverá diferentes versões do Arcfox Alpha S, que está programado para chegar ao mercado chinês ainda este ano, mas a mais evoluída é a “HI”, que conta com um ecrã central de 20,3 polegadas e resolução 4K, a partir do qual é possível operacionalizar desde funções do veículo ao infoentretenimento, passando inclusivamente pela condução semiautónoma.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Disponível como opcional, esta tecnologia tem por base o chip Kirin da Huawei, cujo poder de computação é de 400 TOPS (Tera Operations per Second) na versão de acesso e duplica na Hi. Em qualquer dos casos, o sistema ancora-se sempre em LiDAR, diversas câmaras e mapas de alta definição para permitir ao condutor descontrair nas viagens mais longas. A versão mais evoluída já é nível 3 de condução autónoma, ou seja, é o veículo que controla os outros utilizadores da via e a sinalização vertical e horizontal, sendo mesmo capaz de efectuar uma ultrapassagem sozinho, ao rodar com o cruise control activo, se o condutor assim autorizar o sistema, por meio da indicação de mudança de direcção (abrir “pisca”). De realçar que o nível 3 ainda não é permitido legalmente em grande parte do globo. No passado mês de Março, a Honda foi o primeiro fabricante do mundo a disponibilizar este grau de condução semiautónoma de nível 3 num veículo de produção em série, o Honda Legend EX com o chamado Honda Sensing Elite, depois o Governo japonês o ter autorizado.

Os preços da versão de acesso começam nos 251.900 yuan (32.595€) e podem ir até aos 344.900 yuan (44.630€). Quando equipado com o pack menos sofisticado de condução autónoma (o que faz essencialmente de piloto automático em auto-estrada), o Arcfox Alpha S passa a custar 388.900 yuan (49.615€), valor que sobe para 429.900 (54.840€) yuan na versão mais avançada, a Hi.

A Huawei investiu 1000 milhões de dólares para desenvolver as soluções inteligentes para veículos eléctricos e autónomos e assume, para já, que há mais dinheiro a ganhar como fornecedor de tecnologia para a indústria do que como construtor de veículos.