Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“A Bielorrúsia está a liderar um ataque híbrido contra a União Europeia. A UE como um todo está a ser desafiada, somos solidários com a Lituânia, a Polónia e a Letónia”, escreveu Von der Leyen no Twitter para resumir a intervenção no plenário desta terça-feira no Parlamento Europeu.

No discurso, a presidente da Comissão Europeia afirmou que “as ações recentes do regime de Lukashenko e seus apoiantes são uma tentativa determinada de criar uma crise contínua e prolongada”

“Repito: A União Europeia não reconhece este regime, que reprime violentamente o seu próprio povo. As suas ações fazem parte de um esforço concertado para desestabilizar a União Europeia e a nossa vizinhança. Isso inclui a Ucrânia e a Moldávia em particular. Estas ações representam um perigo real e atual para a segurança da nossa União“, afirmou a responsável.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As sanções à Bielorrússia têm sido ampliadas progressivamente, desde outubro de 2020, acompanhando a situação no país, depois de terem sido adotadas em resposta às eleições presidenciais de agosto do ano passado, que a UE considera terem sido fraudulentas e manipuladas, não reconhecendo a reeleição de Lukashenko.