Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“A cidade planeada à medida dos especuladores e o respeitinho pelo capital”. “O pequeno comércio expulso e os últimos residentes enxotados para a periferia” pelos grandes proprietários imobiliários. O sector privado “que desenha a cidade e a transforma ao seu gosto, decide quem fica e quem sai.” Estas três frases foram ditas a 14 de outubro de 2014 por Ricardo Robles, numa reunião da Assembleia Municipal de Lisboa para criticar a reabilitação que abria caminho a fins especulativos. Os que o ouviam ainda não sabiam, mas cinco meses antes o deputado municipal do Bloco de Esquerda tinha vencido um leilão para comprar à Segurança Social um prédio em Alfama por 347 mil euros, que anos mais tarde colocaria à venda no mercado por 5,7 milhões de euros. Ainda hoje recusa que se trate de especulação.

Robles-deputado municipal critica; Robles-cidadão faz

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.