Se nada mudar para melhor eu faço greve até morrer

Eduardo Jorge, tetraplégico, luta por uma vida independente e por apoios do Estado que permitam aos deficientes não serem institucionalizados compulsivamente. Quer ser activo sem se sentir humilhado.

Recomendamos

Populares

Últimas

A página está a demorar muito tempo.