Logo Observador
FIFA

Fernando Gomes destaca “inteligência, bom senso e responsabilidade” do presidente da FIFA

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol disse que Gianni Infantino, há um ano na liderança da FIFA, "tem sabido gerir os diferentes temas com inteligência, bom senso e responsabilidade".

Fernando Gomes diz que tem um "enorme trabalho" pela frente

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, disse hoje que Gianni Infantino, que assinala no domingo um ano na liderança da FIFA, “tem sabido gerir os diferentes temas com inteligência, bom senso e responsabilidade”.

“Um ano especialmente difícil, de mudanças na organização, afetada por uma crise se credibilidade sem precedentes. Creio que tem sabido gerir os diferentes temas com inteligência, bom senso e responsabilidade”, comentou Fernando Gomes à agência Lusa. O presidente da FPF sabe que “nem tudo está como Infantino desejaria, mas que continua empenhado em fazer renascer uma FIFA mais forte”.

Fernando Gomes destaca, neste primeiro ano de mandato de Infantino, a “introdução do vídeo-árbitro”, o cumprimento do “compromisso eleitoral de estudar e implementar um alargamento do Mundial”, de 32 para 48 seleções, e “as recentes discussões em torno de regras para a modalidade”.

“O trabalho que tem pela frente é enorme. Portugal apoiou esta mudança e continuará a apoiar. Diria que Gianni Infantino fez no primeiro ano de mandato um trabalho sério também na aproximação entre continentes e federações que tendem a andar em blocos regionais. O mérito é dele”, concluiu Fernando Gomes.

O antigo secretário-geral da UEFA foi eleito a 26 de fevereiro de 2016, encerrando o polémico ‘reinado’ de Joseph Blatter, que, após 17 anos no cargo, deixou a liderança na sequência de um escândalo de corrupção, acabando mesmo por ser suspenso por seis anos de toda a atividade ligada ao futebol.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Homossexualidade

Hereges e beatas

Luis Carvalho Rodrigues

Eu percebo que gente como a deputada Isabel Moreira não faça a mínima ideia do que é uma “verdade científica” sobre a homossexualidade. Mas já custa ver a professora Ana Matos Pires repetir a tolice.

Sociedade

Esquerda e instrumentalização da homossexualidade

João Marques de Almeida

Os liberais devem defender os direitos dos homossexuais e lutar, contra os ataques das esquerdas radicais, por uma sociedade assente na família tradicional. A maioria dos portugueses terá esta posição