Elon Musk

Os acionistas da Tesla não estão contentes. “Invistam na Ford”, respondeu-lhes Elon Musk

219

Um grupo de investidores da Tesla não está contente com as práticas da administração da empresa e Elon Musk sugeriu-lhes que investissem na concorrência: Ford. "Tem uma administração extraordinária."

Elon Musk está sob a mira dos acionistas da Tesla, mas não está preocupado. Sugeriu-lhes, antes, uma alternativa óbvia: que invistam na Ford. A reação do líder da empresa de carros elétricos de Silicon Valley – que na segunda-feira bateu o valor de mercado da história General Motors, ao atingir uma capitalização bolsista de 51 mil milhões de dólares – surgiu depois de um grupo de investidores querer adicionar dois executivos independentes ao conselho de administração para “fornecer uma verificação crítica de possíveis dinâmicas de grupo disfuncionais” na empresa.

Conta a Reuters que, na segunda-feira – dia em que a Tesla atingiu os 51 mil milhões em bolsa -, cinco casas de investimento escreveram uma carta a pedir que os executivos da empresa passassem a ser reeleitos anualmente.

Esperamos que à medida que as empresas fazem a sua transição para a categoria de cotadas em bolsa, as suas estruturas e práticas evoluam para se alinharem com a estratégia da companhia na altura do IPO [admissão em bolsa]. Contudo, os sete membros do conselho da Tesla permanecem inalterados desde antes de ser cotada”, lê-se na carta.

Ao pedido das casas de investimento, Elon Musk respondeu no Twitter que “o grupo de investidores devia comprar ações da Ford. A sua administração é extraordinária…” O icónico líder da Tesla – que também lidera a SpaceX, primeira empresa privada de exploração espacial a conseguir um contrato com a NASA, disse ainda que iria nomear executivos independentes para o conselho, “mas que este grupo de investidores não tinha nada a ver com isso”.

Na segunda-feira, as ações da empresa de carros elétricos liderada por Elon Musk foram transacionadas a 313 dólares, o máximo histórico da Tesla, destronando a líder do setor automóvel norte-americano, a General Motors, por um milhão. A capitalização bolsista da empresa de Silicon Valley fez vários críticos do setor falarem numa “bolha” e em “especulação”, mas a verdade é que quem tem vindo a apostar na queda das ações (‘short selling’) já perdeu 3,2 mil milhões de dólares desde o início do ano, segundo os analistas da S3 Partners, citados pela Business Insider.

Em 2016, a Tesla vendeu apenas 76.230 carros (longe da meta de 80 mil), quando a General Motors vendeu dez milhões e a Ford venceu 6,7 milhões. Até ao final do ano, a marca espera vender 100 mil, mas em 2018 os planos passam por vender 500 mil e chegar a 2020 com um milhão de carros vendidos. Para o final deste ano, a marca vai lançar o esperado Model 3, que deve custar cerca de 35 mil dólares (cerca de 33 mil euros).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt
Inovação

A emergência do 4º setor

António Covas

Neste século XXI temos de decidir sobre a dosagem de Estado Social (mais dívida, impostos e emprego público) e de economia colaborativa e partilhada (menos impostos, mais emprego privado e partilhado)

PSD

O deserto

Diogo Prates

Ou estes candidatos à liderança do PSD redirecionam a sua estratégia, apresentando alternativas válidas ao governo, ou arriscam-se a ver o PS cada vez mais longe e o CDS-PP cada vez mais perto.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site