Logo Observador
Crime Informático

Ministério Público sofreu ataque informático, mas normalidade está reposta

A Procuradora-geral da República confirmou que a paragem do sistema informático do Ministério Público ficou a dever-se a um ataque informático, mas sublinhou que está reposta a normalidade.

RICARDO GRAÇA/LUSA

A Procuradora-geral da República confirmou que a paragem do sistema informático do Ministério Público ficou a dever-se a um ataque informático, mas sublinhou que está reposta a normalidade e que não foram afetados sistemas críticos.

“Houve um ataque que levou a que fosse abaixo o sistema do Ministério Público (…), afetou ligeiramente o portal e o chamado SIM que é uma intranet com mais algumas funcionalidades do próprio MP. Neste momento está reposta a normalidade”, afirmou Joana Marques Vidal em declarações à margem do Encontro Nacional de Avaliação da Atividade das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens que decorreu em Idanha-a-Nova.

Joana Marques Vidal afirmou que o ataque não atingiu bases de dados com informação sensível nem perturbou os sistemas de despacho de processos.

“A atividade processual no âmbito dos processos do MP não foi minimamente afetada”, afirmou a procuradora-geral, adiantando que o sistema atingido “não é um sistema no qual haja qualquer tipo de tramitação processual”.

Informações iniciais divulgadas pelo Ministério Público referiam não existir certezas sobre se a paragem do sistema informático se tinha devido a avaria ou ataque informático.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Conferências

Portugal, fórum do diálogo global

Daniel Traça

É cada vez mais importante criar pontes, ultrapassar o conflito, o medo, a insegurança e a intolerância. Sem um esforço intenso de promoção desse diálogo, está em risco um novo período de trevas