Ténis

O ténis quer mudar. E é tudo por causa da televisão

180

O ténis, um dos desportos mais conservadores do mundo, quer mudar regras de base. O motivo? As transmissões televisivas e a duração (excessiva) das partidas.

Será que o próximo torneio de Wimbledon já vai assistir a sets com quatro jogos?

Getty Images

O ténis como o conhecemos pode estar prestes a mudar. Um dos desportos mais conservadores e tradicionais do mundo pode estar à beira de uma autêntica revolução. As mudanças são profundas e as certezas só chegam daqui a alguns meses. Mas as alterações estão a ser testadas já esta semana.

O Next Gen ATP Finals, o torneio de juniores do ténis mundial, vai servir de incubadora para as várias mudanças que a Association of Tennis Professionals quer implementar. A ideia é encurtar o tempo dos jogos, agilizar os torneios e dinamizar o próprio jogo. A proposta choca com tudo aquilo que o ténis tem representado: o desporto, visto como um dos mais elegantes e clássicos do mundo, tem resistido à mudança e ao avançar dos tempos. Mas parece que isso acabou.

Pensa-se muito na televisão porque, afinal, quem paga? De onde é que sai o dinheiro para os anúncios e os patrocínios?”, diz Conchita Martínez em declarações ao El País. A antiga profissional, que chegou a vencer o torneio de Wimbledon, acredita que estas alterações foram pensadas para servir o público televisivo e os interesses, e não a pensar na melhoria e na evolução do ténis.

A antiga tenista acredita na inovação natural. “Sempre existiram mudanças. Mas o mais importante é que se respeitem os sinais fundamentais de identidade”, defende Martínez.

Jordi Arrese, antigo tenista que venceu uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1992, tem opinião contrária. Ainda assim, acredita que as mudanças não vão chegar a ser implementadas. “Parece-me muito bem que tentem tornar o jogo o mais dinâmico possível, mas nunca se atreverão porque são uns cobardes. O ténis é um desporto conservador para gente conservadora. Não vai mudar nada. O ténis está totalmente atrasado, no paleolítico”, afirma Arrese.

As principais mudanças passam por agilizar tudo:

  • Primeiro, a duração das partidas: os jogadores vencem um set quando ganham quatro jogos e não seis, como até aqui;
  • Depois, desaparecem as vantagens. Até agora, quando um jogo chegasse aos 40-40, o jogadores tinham de vencer dois pontos consecutivos para ganhar. Agora, a ideia é disputar apenas um “ponto de ouro” para decidir quem ganha;
  • O fim do ‘let’: se a bola tocar na rede e passar para o campo adversário, o jogo prossegue, sem paragens;
  • A introdução do ‘coaching’: a ATP quer que os treinadores possam comunicar com os jogadores em alguns momentos da partida.

A ATP não sabe quando é que as novas regras vão ser implementadas e ainda está a observar os efeitos práticos no Next Gen ATP Finals, em Milão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site