Ténis

Federer é o tenista favorito dos fãs pela 15.ª época consecutiva

O suíço Roger Federer conquistou três prémios do circuito ATP, incluindo regresso do ano e favorito dos fãs, com o canadiano Denis Shapovalov a ser eleito o tenista com maior evolução esta temporada.

ALEXANDRA WEY/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O suíço Roger Federer conquistou esta sexta-feira três prémios do circuito ATP, incluindo regresso do ano e favorito dos fãs, com o canadiano Denis Shapovalov a ser eleito o tenista com maior evolução esta temporada.

Aos 36 anos, Federer continua a ser o campeão incontestável em duas vertentes: no coração dos adeptos da modalidade, que o elegeram, pelo 15.º ano consecutivo, como o seu favorito, e no ‘fair-play”.

O suíço, número dois mundial, recebeu pela 13.ª vez (e sétima consecutiva) o prémio Stefan Edberg Sportsmanship Award, atribuído com os votos dos tenistas do circuito, estreando-se ainda numa outra categoria, a de regresso do ano.

“Aceito este prémio e é muito especial para mim, mas sinto que devo dividi-lo com todos os outros que estavam a votação, nomeadamente com o Rafael Nadal, que como eu lutou muito por regressar. Estou muito feliz por todos”, revelou, referindo-se ao seu eterno rival, que vai terminar a época como número um mundial.

Federer, que já soma 36 troféus nos ATP World Tour Awards, iniciou o ano na 17.ª posição do ranking, mas cumpriu uma época memorável, com títulos no Open da Austrália e Wimbledon, nos Masters 1000 de Indian Wells, Miami e Xangai, e ainda em Halle e Basileia.

Tal como o veterano suíço, também os ‘eternos’ irmãos Bob e Mike Bryan receberam, pelo 13.º ano consecutivo, o prémio de dupla favorita dos fãs na gala realizada esta sexta-feira, em Londres, com Denis Shapovalov a ser o mais sonante dos estreantes.

O jovem canadiano, de 18 anos, foi votado pelos seus pares como jogador com maior progressão de 2017, tendo também sido distinguido pela ATP como ‘Estrela de Amanhã’, depois de se ter tornado no tenista mais novo a atingir a quarta ronda de um ‘Grand Slam’ (no US Open) desde Marat Safin na edição de 1998 de Roland Garros.

O sul-africano Neville Godwin foi considerado, numa votação realizada entre os seus colegas, como o melhor treinador de 2017, após ter guiado o seu compatriota Kevin Anderson à final do US Open.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Angola

João Lourenço e MPLA: estamos juntos?

José Pinto

Apesar do seu debilitado estado de saúde, José Eduardo dos Santos ainda é o Presidente do MPLA. As exonerações dos seus familiares diretos dificilmente mereceram a sua aquiescência.

Caso José Sócrates

Quid custodiet custodiam?

Luís Ribeiro

Agora que o puzzle está claro, quanto será reaberto o inquérito ao crime contra o Estado de Direito para conhecermos a cumplicidade dos que então eram os mais altos responsáveis da Justiça portuguesa?

Pobreza

Amar com obras e não com palavras

P. Miguel Almeida, sj

Há uma diferença entre culpa e responsabilidade. O facto de não termos culpa de haver fome e pobreza no mundo não nos isenta da responsabilidade, simplesmente porque somos todos irmãos em humanidade.

Panteão Nacional

O sacrossanto panteão de Santa Engrácia

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
112

Se a república é laica, porque se apropriou de uma antiga igreja católica para seu panteão nacional? O laicismo não é capaz de arranjar um espaço próprio, onde sepultar os seus próceres?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site