Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A imagem de Letizia Ortiz está associada a um estilo sóbrio, clássico e equilibrado, longe de decotes e exageros. A (ainda) princesa das Astúrias casou-se com o príncipe Felipe de Espanha a 22 de maio de 2004, na catedral de Almudena, em Madrid. Em dez anos de realeza, Letizia revelou um apurado sentido de moda, reconhecido dentro e fora de fronteiras. 

Ao longo do tempo, a ex-jornalista foi-se habituando ao novo papel e às lides da realeza. Mas os fatos mais rígidos (dos primeiros anos) foram dando lugar a alternativas descontraídas q.b. O uso de cores é uma realidade mais recente, ainda que os tons neutros sejam uma preferência. A Elle espanhola destaca o encarnado como uma das cores que mais favorece a princesa e os padrões floridos que invadiram o guarda-roupa da realeza nos últimos tempos.

Já não é incomum ver Letizia com vestidos curtos e, por vezes, justos. No entanto, a elegância é uma marca vincada que nunca tira folga. Um bom exemplo é o conjunto usado a 8 de maio, no Palácio da Zarzuela, residência dos reis de Espanha, em que Letizia junta uma camisa branca com uma saia rodada de tiras pretas e brancas.

As peças de roupa que a princesa escolhe são, por hábito, adquiridas em cadeias de pronto-a-vestir made in Spain. Quando as ocasiões pedem um corte e costura mais elaborado, a futura rainha procura propostas elegantes junto de estilistas nacionais. É o caso do espanhol Felipe Varela, um dos favoritos da princesa. Já o vestido de noiva coube a Manuel Pertegaz.

O Daily Express garante que Letizia  é, muitas vezes, comparada a Kate Middleton no que diz respeito ao estilo real. Já o Telegraph insistia, em 2009, que a princesa das Astúrias era “concorrente” de Carla Bruni. O certo é que, até então, a plebeia a caminho do trono não deixa ninguém indiferente.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR