Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É a primeira vez que tal acontece. Depois de mais de trinta anos ao serviço de Céline Dion, o também marido René Angélil deixa de ser o manager da cantora canadense. O lugar fica, assim, liberto, mas não por muito tempo. O casal chamou um amigo de longa data, Aldo Giampaolo, para exercer o cargo de CEO na Feeling Productions Inc, a empresa que gere a carreira da artista. Giampaolo vai iniciar atividade a 4 de julho.

“Céline e René decidiram que chegou o momento de concretizar a nomeação que René tinha proposto há vários anos”, explica a dupla num comunicado citado pelo Daily Star. O executivo Giampaolo trabalhou durante mais de 25 anos ao lado de ambos e no seu currículo constam seis anos dedicados ao Cirque du Soleil, onde exerceu cargos de responsabilidade acrescida, e a co-produção de Star Académie (a versão nacional de American Idol). Recentemente era presidente e CEO da QMI Entertainment & Sports.

Foi René quem descobriu os dotes musicais de Céline, tinha esta 12 anos e ele 38. A união profissional depressa catapultou a jovem rapariga para a fama internacional, mas dos laços laborais outros nasceram. A relação amorosa do casal começou alguns anos mais tarde e, em 1994, evoluiu para casamento. Hoje em dia, são pais de três filhos, dois deles gémeos.

Da carreira de Céline fazem parte hits musicais como Where Does My Heart Beat Now, Because You Loved Me e a icónica banda sonora do filme Titanic, My Heart Will Go On.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR