Namorar. Ou a importância do primeiro encontro. O que vestir, onde ir ou como lidar com o nervoso miudinho. São “as borboletas na barriga”, dizem. Nem sempre o processo é fácil de gerir – ou mesmo de escolher. Antes do sítio, da roupa e do programa, é preciso encontrar a pessoa certa para investir o tempo (que pode ser pouco), para ultrapassar as barreiras de quem pouco ou nada se conhece.

Entre trabalho, família, amigos ou projetos pessoais, quanto tempo tem para conhecer pessoas novas? E paciência para lidar com as as expectativas? A indisponibilidade que tende a caracterizar a vida em pleno séc XXI pode ter feito um novo amigo: o mercado das aplicações móveis. Já ouviu falar na Tinder, na Match.com ou na OkCupid? São apps para smartphones que pretendem facilitar a forma como as pessoas se conhecem e marcam encontros. Se não forem a opção ideal para quem quer anda à procura da sua cara-metade, existem outros exemplos no mercado mobile, como a Zoosk ou a Plenty of Fish.

A Whim é recente e foi lançada em versão beta (experimental) em junho, por duas mulheres e um homem, Eve Peters, Katherine Nilan e  Todd Blose, fundadores da startup sediada em Los Angeles, nos Estados Unidos da América.  O objetivo é reduzir o tempo que vai do primeiro contacto online ao encontro em tempo real. Ou seja, torna-se possível encontrar uma pessoa e marcar um encontro com ela no próprio dia.

A Whim ainda só está disponível na web mobile, mas a startup adiantou que vai ser lançada em breve para o sistema operativo iOS.

Além de encurtar o tempo, a app pretende aumentar a frequência e a facilidade com que se marcam encontros. Como? Quando os utilizadores acedem à aplicação, têm de escolher entre três encontros possíveis, que são seleccionados por um algoritmo. Escolhido o encontro, às 18 horas o utilizador recebe uma notificação a informar se a pessoa em questão está disponível para o encontro, sugerindo um sítio e hora.

“A nossa solução elimina a procura extensiva, mensagens e planeamento que as aplicações existentes exigem, como o Tinder, Hinge ou CMB. [A app] substitui esse modelo por um serviço de encontro ‘a pedido’, que acontece no próprio dia com pessoas que estejam solteiras e que tenham sido pré-aprovadas por si”, explica a empresa.

A Whim ainda só está disponível na web mobile, mas a startup adiantou que vai ser lançada em breve para o sistema operativo iOS. Tem planos para logo?