A Federação Nacional de Professores (Fenprof) reúne-se esta quarta-feira com a Direção-Geral da Administração Escolar (DGAE), depois de, na segunda-feira, ter exigido um encontro num prazo máximo de 48 horas para discutir problemas e erros nos concursos de professores.

A reunião está agendada para as 10:00, nas instalações da DGAE, em Lisboa.

“Trata-se de uma reunião técnica em que as organizações sindicais serão portadoras de inúmeras situações concretas, referentes à colocação de professores, quer no âmbito da contratação inicial, quer da mobilidade interna. Também em relação às chamadas BCE (bolsas de contratação de escolas) serão apresentadas exigências, com vista a tornar transparente o processo em curso”, refere a Fenprof, em comunicado.

De acordo com a federação, vão ser levados para a reunião casos de professores que estão a iniciar processos judiciais depois de alegadamente terem sido prejudicados pelas listas de colocação.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A reunião com a DGAE é uma das duas exigidas pela Fenprof na conferência de imprensa de segunda-feira passada, na qual exigiu ainda ser recebida pelo ministro da Educação, Nuno Crato, num prazo que termina hoje ao final do dia.

A Fenprof garantiu que se essa reunião, pedida para “uma discussão política” dos concursos de professores” não acontecer dentro do prazo indicado, vai estar, na quinta-feira de manhã, à porta das instalações do Ministério da Educação e Ciência a manifestar-se até ser recebida, admitindo avançar com ações para impugnar os concursos em tribunal se não houver resposta às exigências.