A mulher do advogado de José Sócrates, Alda Magalhães Telles, apagou as duas publicações que tinha feito no Twitter na passada madrugada de segunda para terça-feira, onde dava conta de pormenores do interrogatório feito pelo juiz Carlos Alexandre ao ex-primeiro-ministro José Sócrates. Pormenores esses que o próprio advogado, João Araújo, se escusou a revelar à comunicação social, sustentando o silêncio com o dever de segredo de justiça.

Num dos tweets, a consultora de comunicação Alda Telles escreveu: “curioso, durante todo o interrogatório os arguidos não foram confrontados com um único facto concreto de corrupção” e logo de seguida completou que “sem crime a montante, por exemplo corrupção, não há branqueamento de capitais”.

Os dois tweets polémicos (os dois primeiros) publicados por Alda Telles e que entretanto foram apagados

Estas mensagens geraram polémica, uma vez que o caso está em segredo de justiça e que Alda Telles é mulher do advogado de José Sócrates, tendo revelado publicamente pormenores do interrogatório, que não foram divulgados por mais ninguém. Confrontada na terça-feira pelo Observador sobre uma eventual violação do segredo de justiça, Alda Telles apenas respondeu “não, não violei coisa nenhuma”.

O Observador tentou contactar sem sucesso a consultora de comunicação esta quarta-feira.

Entretanto o Ministério Público (MP) já deu conta da abertura de um inquérito para averiguar a eventual violação de segredo de justiça no âmbito da investigação que levou à detenção do ex-primeiro ministro e outros três arguidos e posterior prisão preventiva do ex-primeiro-ministro e dois dos arguidos.