Proteção do equipamento

Os gadgets que transportamos no bolso e na mala são pequenos, elegantes e leves, são relativamente resistentes mas são peças de alta tecnologia. Trate o seu smartphone/tablet com cuidado e considere a compra de uma capa ou bolsa de proteção, até porque se pretender substitui-lo mais tarde por um outro modelo, será mais fácil vendê-lo (ou mais simpático para oferecer) se ele não tiver riscos ou amolgadelas. E pelo sim pelo não, guarde a caixa original e os acessórios que não utilize.

Transferir contactos

Todos os telemóveis, novos e antigos, permitem guardar os contactos no SIM (o cartão do operador de telecomunicações). Caso tenha guardado os contactos na memória do equipamento, faça uma cópia para o SIM, e daí transfira-os para o novo smartphone. Geralmente este processo é automático, ou seja, o novo dispositivo deteta a presença de um novo cartão e pergunta se quer efetuar a transferência.

Seja um sistema Android, iOS ou Windows Phone, os smartphones estão ligados a ecossistemas de tal forma desenvolvidos, que basta introduzir as credenciais de acesso para passar para o smartphone todos os dados que tem guardados online, tais como o email, os contactos, notas e agenda. Se os seus dados estão muito desorganizados, vale a pena dispensar algum tempo para pôr tudo em ordem na sua conta pessoal (Gmail, Yahoo ou iCloud, por exemplo), porque é mais rápido organizar os dados no computador. Depois, eles sincronizam automaticamente no smartphone.

Ligação à internet

Os smartphones (e alguns tablets) foram criados para que o utilizador esteja sempre ligado à internet. As ligações de dados móveis das operadoras nacionais são muito rápidas (em 3G e sobretudo 4G/LTE), o que possibilita uma utilização sem interrupções, seja numa troca de mensagens ou de correio eletrónico, seja a ver um vídeo do YouTube. Mas este conforto tem um preço: os pacotes de dados incluídos no tarifário do seu operador podem desaparecer antes do tempo (o fim de cada ciclo de faturação). Por isso estude as opções de mercado e escolha um plano de dados que esteja de acordo com as suas necessidades (previsíveis) e ajuste o tarifário se estiver a gastar mais do que deseja ou pode comportar.

Uma alternativa é utilizar uma rede wi-fi, mas atenção que só o deverá fazer em locais de confiança. A bem da segurança, não ligue o seu smartphone ou tablet a redes gratuitas de estabelecimentos ou espaços públicos a não ser por necessidade, porque não tem como saber “quem está do outro lado”, ou seja, se o computador/router que transmite o sinal está a filtrar os dados da sua atividade. A ligação de internet do seu fornecedor de dados móveis é mais segura.

Verificar atualizações

Os fabricantes atualizam com frequência os sistemas operativos para garantir fiabilidade e segurança, por isso é normal que quando tirar o novo smartphone ou tablet da caixa ele já esteja desatualizado. É conveniente fazer um update (atualização) do sistema assim que o começar a utilizar, antes mesmo de começar a instalar aplicações. Este processo pode não ser automático, procure nas definições do sistema a respetiva secção.

É importante manter o sistema operativo sempre atualizado, mas a experiência demonstra que nem sempre as atualizações mais recentes representam uma vantagem para o seu smartphone, ora porque elas contêm erros (“bugs”) ora porque pode tratar-se de uma versão não suportada — os smartphones mais antigos podem não ter capacidade para processar as novas versões de software.

Antes de instalar uma atualização, confirme primeiro se ela funciona na versão do smartphone ou se tem “bugs”. Uma maneira prática de confirmar essa informação é fazer uma pesquisa no motor de busca, há centenas de fóruns e páginas especializadas que identificam erros e incompatibilidades — perguntar, por exemplo, se “a versão X funciona no modelo Y?”

Senha de segurança

É sempre recomendável introduzir uma senha de desbloqueio do equipamento. Os smartphones e tablet não têm necessariamente de ser utilizados como objetos pessoais, mas tenha consciência que é lá que se guardam muitos dados e momentos (fotos, vídeos) pessoais, que não vai querer que fiquem na posse de estranhos, por isso ative uma senha de desbloqueio (geralmente de quatro dígitos). Caso fique sem o equipamento por perda ou furto, garante (ou dificulta) que terceiros acedam à informação. Há ainda sistemas que permitem que os dados armazenados possam ser apagados remota ou automaticamente, após um determinado número de tentativas falhadas de introdução de código.

Serviços de localização

Os novos smartphones vêm equipados com sistemas de geolocalização tais como o GPS. O sinal de rede móvel permite que o aparelho se posicione em relação às antenas a que está ligado (um processo chamado “triangulação”) e a ligação wi-fi ajuda a aferir a posição do smartphone. Defina com cuidado as aplicações a que quer dar acesso à sua localização. Tenha presente que quando autoriza o acesso de uma aplicação ao local onde se encontra, está a dar a terceiros a sua posição exata. É uma questão de privacidade, que deverá ponderar sempre que uma aplicação lhe requisita acesso. Algumas não funcionam sem essa permissão (por exemplo os mapas), mas para muitas outras essa permissão é acessória.

Instalação de aplicações

As lojas online da Google (Android), da Apple (iOS) e da Windows disponibilizam milhões de aplicações (“apps”). Começamos por sugerir que instale aplicações a partir das lojas oficiais, que oferecem o mínimo de garantia. Evite páginas “pirata” para não comprometer a segurança do equipamento e dos seus dados.

Experimente. Existem muitas aplicações gratuitas, o difícil mesmo vai ser escolher. Atenção que algumas aplicações são grátis mas têm as funções limitadas, ou seja, para tirar total proveito delas será necessário fazer “compras” dentro da aplicação. Há depois diferentes versões para a mesma aplicação, umas grátis e outras pagas. Em caso de dúvida, experimente primeiro a versão livre. Depois, e no caso de se tratarem de aplicações que considere caras, vá estando atento a descontos ou promoções. É habitual que fiquem gratuitas por alguns dias em alturas específicas. E existem até aplicações que monitorizam essas promoções (consulte o nosso artigo em anexo).

Instale aplicações para experimentar mas tenha o cuidado de desinstalar aquelas que não lhe interessam ou a que dá pouco uso. É com enorme facilidade que acumulamos centenas de aplicações no smartphone/tablet, quando na prática usamos diariamente menos de uma dezena. Limpe (apague) do equipamento as apps que não utiliza, deste modo liberta espaço (precioso) para fotos, filmes ou música e para o funcionamento fluido do próprio equipamento. É importante manter algum espaço livre (1 ou 2 GB de memória) para que o sistema operativo funcione sem engasgos. Por fala nisso, feche as aplicações que não está a usar ou não prevê usar num futuro próximo. Os sistemas operativos são já bastante eficientes na gestão da memória disponível, mas as aplicações abertas, ainda que em segundo plano, ocupam sempre algum espaço. Se não as está a utilizar, feche-as.

Controlo parental

Se vai partilhar o seu tablet ou smartphone com as suas crianças, não será má ideia ligar o sistema de controlo parental, que não é mais que um conjunto de regras e restrições protegidas por uma password. Pode limitar ou cortar o acesso a determinadas páginas ou à loja de aplicações, para prevenir compras indesejadas.

Armazenamento remoto

A “cloud” ou “nuvem” é um sistema que permite alojar num servidor remoto todo o tipo de dados. Por outras palavras, utiliza espaço disponibilizado em computadores de empresas que lhe dão acesso aos mesmos a partir de qualquer suporte. Por exemplo, um ficheiro (foto, música, documento de texto, etc.) importado para a “nuvem” no seu computador pessoal fica automaticamente disponível no seu smartphone ou tablet. A outra vantagem deste sistema é permitir manter espaço livre no dispositivo móvel.

Existem serviços gratuitos e pagos, entre os mais populares estão o português MEO Cloud e os gigantes Dropbox, Google Drive, iCloud (da Apple) e o OneDrive (da Microsoft). São gratuitos até determinado limite, a partir do qual é possível comprar espaço extra. Estes serviços de armazenamento permitem guardar todo o tipo de ficheiros e estão preparados para fazer o upload automático de fotografias e vídeos – são uma maneira prática de fazer backups para não nunca perder as suas fotos.

A música cada vez ocupa mais espaço nas nossas vidas e também na Cloud, daí que serviços tais como o Spotify, iTunes Match, Google Music ou MEO Box são boas alternativas para manter espaço livre na memória.

 

Finalmente, sugerimos que configure o seu novo equipamento da forma que lhe pareça mais confortável e intuitiva. As opções são inúmeras. Escolha uma foto de fundo que lhe agrade, ajuste o brilho do ecrã, o volume e tom de toque. Perca algum tempo a familiarizar-se com os comandos e botões e leia o manual de instruções, acredite que vai ganhar tempo e qualidade na experiência. E mexa, aprenda experimentando. Dificilmente irá conseguir estragar o seu novo smartphone/tablet. E se ele encravar, existe sempre a opção “reiniciar”.

Se já é um utilizador experimentado e está a ler este texto, considere sugerir a um amigo ou familiar a sua aplicação favorita. Ou então, caso não seja gratuita, ofereça-a diretamente a partir da loja oficial. As prendas também podem ser digitais.