Para Madonna esta é uma história com um final feliz. Músicas, esboços e fotografias da cantora americana tinham sido roubadas e estavam a ser vendidas online. Uma investigação da polícia israelita e do FBI permitiu deter o pirata.

A cantora pop deu a conhecer o episódio em dezembro, através de uma fotografia que publicou no Instagram, com a legenda: “Este iPod partido é símbolo do meu coração partido! A minha música foi roubada e pirateada! Eu fui violada como humano e como artista.”

Durante as buscas a polícia encontrou na casa do suspeito, um israelita de 38 anos, mais músicas pirateadas de outros artistas, confiscou ainda “muitos materiais e equipamentos de computador”, o processo ainda se encontra sob investigação policial. Mas o roubo e lançamento das músicas do álbum Rebel Heart, que a artista americana só ia lançar em março, já lhe valeram um prejuízo de milhões de dólares, conta a CNN.

O FBI acrescenta que este caso deverá servir de exemplo graças ao mediatismo e ao sucesso que o envolve e que por isso o caminho é de que “as nações trabalhem em conjunto para identificar e levar à justiça aqueles que representam uma ameaça ao ciberespaço.”

Madonna usou para agradecer o trabalho da polícia o mesmo método que havia usado para mostrar a sua indignação, as redes sociais. Foi no Facebook que agradeceu e onde aproveitou para dizer, mais uma vez, o quanto a afetou este processo.

madonna

Já em 2003 a rainha da pop tinha estado envolvida num caso de pirataria, a altura em que todas as músicas do seu albúm “America Life” foram lançadas online.