Rádio Observador

Educação

Açores abrem 97 vagas para colocar professores contratados em 2015

Governo dos Açores anunciou a abertura este ano de 97 vagas para professores nas escolas da região no âmbito do concurso extraordinário de colocação.

Concurso abre no final de janeiro

JOSE SENA GOULAO/LUSA

O Governo dos Açores anunciou nesta segunda-feira a abertura este ano de 97 vagas para professores nas escolas da região no âmbito do concurso extraordinário de colocação com vista à integração nos quadros de docentes contratados.

Segundo um comunicado do executivo, que cita o secretário regional da Educação, Avelino Meneses, o concurso abre no final deste mês e estas 97 vagas correspondem às necessidades permanentes das escolas consideradas “mais prioritárias”, dizendo que “as demais serão abertas no próximo ano letivo”, como prevê a legislação aprovada no ano passado pelo parlamento dos Açores.

O concurso extraordinário de colocação de professores nos Açores aprovado no ano passado visa cumprir uma determinação europeia, que obriga à integração nos quadros das escolas portuguesas os docentes que são contratados sistematicamente para preencher necessidades permanentes.

Nos Açores, ficou decidido que se realizariam três colocações extraordinárias, ao longo de três anos, tendo a primeira decorrido em 2014, quando foram colocados 73 professores. Em 2015, segundo Avelino Meneses, o concurso “vai privilegiar, em defesa da promoção do sucesso escolar, as áreas curriculares do Português e da Matemática” e a da educação especial, com 29 lugares. “Todas as escolas com segundo e terceiro ciclos do básico e com secundário serão dotadas de docentes de educação especial”, sublinhou

Ainda citado no mesmo texto, o secretário regional afirmou que nos Açores, “a maioria dos professores contratados não suprem necessidades permanentes do sistema educativo regional”. Os sindicatos dos professores consideraram insuficiente a colocação de 73 professores no ano passado ao abrigo deste concurso extraordinário, estimando que 300 docentes sejam contratados todos os anos nos Açores para responder a necessidades permanentes das escolas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

Uma escola nova, um Homem novo

Luís Filipe Torgal
240

Na escola da flexibilidade não há lugar para incrédulos: quem denuncia as contradições da cartilha é rotulado de professor ignorante, senil e falastrão, aluno arrogante ou pais elitistas e reacionários

Universidades

Os concursos de promoção do pessoal docente

Gonçalo Homem de Almeida Correia

É preciso pensar de outra forma o ensino superior valorizando os que estão dentro e apostando nos que vêm de fora com outras ideias. E isso não passa necessariamente por gastar mais dinheiro.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)