Investigadores da Universidade de Columbia desenvolveram um aparelho que permite diagnosticar sífilis e HIV através de um smartphone ou de um tablet, escreve o site Quartz. O dispositivo tem ainda algumas falhas, sendo que em alguns testes acusou falsos positivos.

O modo de funcionamento é o seguinte: introduz-se uma amostra de sangue no aparelho que deteta a existência, ou não, de um número anormal de anticorpos que combatem o HIV ou a sífilis e que demonstra se o paciente está contaminado. O aparelho é ligado a um smartphone através da saída de áudio e uma aplicação (neste momento existe apenas uma – para a Apple e o iOS) faz uma leitura dos resultados, dando um diagnóstico em 15 minutos.

A esperança dos investigadores responsáveis por este desenvolvimento é a de que a portabilidade do método permita facilitar o diagnóstico em países em desenvolvimento. O teste pode ser feito em casa, evitando dificuldades de deslocação ou o estigma de fazer a análise numa clínica. O preço de produção também pode ser uma vantagem para os países mais pobres, uma vez que o preço de fabrico do aparelho de teste é de apenas 34 dólares (cerca de 30 euros).