Restaurantes

Todos querem comer o pão que os espanhóis amassaram

1.685

Não é publicidade enganosa. Na cervejaria 100 Montaditos há mesmo uma centena de pequenas baguetes recheadas para provar, incluindo sandes de Oreo. O Observador provou oito e conta tudo.

Autor
  • Sara Otto Coelho

Mas que fenómeno é este que, desde 9 de janeiro, anda a provocar filas no Pátio do Tijolo, onde antes ficava uma estação de correios? Hombre, é o 100 Montaditos, que chegou à capital portuguesa e anda a juntar à mesa portugueses, estrangeiros, jovens, seniores, endinheirados e remediados. Todos querem trincar o pão que os espanhóis amassaram.

Quem já foi a Espanha já se terá cruzado com um dos 350 restaurantes desta cadeia. Foi o que aconteceu com Paulo Lima, João Falcão e Miguel Marecos, há cerca de cinco anos, numas férias no país vizinho. “Encontrámos um sítio cheio de gente jovem, a beber cerveja de caneca, bom ambiente lá dentro, e nós pensámos: deve ser barato, vamos lá ver o que é que é”. Entraram, provaram e, três anos mais tarde, assinaram um contrato de franchising com o grupo Restália, detentor da marca. Muitas burocracias e reuniões de Câmara depois, eis-nos diante do fenómeno.

Cada baguete tem cerca de 13 centímetros, mas também há montaditos em pão chapata. Os preços situam-se entre 1€ e 2€, as saladas custam 3,50€. Se decidir ir até lá a uma quarta-feira ou a um domingo, esqueça estes preços. Nos chamados dias “Euromania”, todas as baguetes, aperitivos e bebidas não alcoólicas custam 1€, o que gera filas maiores. Sextas e sábados têm sido igualmente complicados. Para evitar esperas, o melhor é ir às segundas e terças-feiras, ou fora das horas de refeição.

A pedido do Observador vieram para a mesa um prato de batatas fritas com queijo cheddar derretido e bacon (2€)…

100 montaditos, tapas, restaurante espanhol,

© Hugo Amaral/Observador

… mais um montadito de queijo de cabra e pesto (1€) e outro de hambúrguer em pão chapata com bacon frito, cebola crocante e molho de azeite e alho (1,20€). As batatas são oferta da casa. Total: 4,20€.

100 montaditos, tapas, restaurante espanhol,

© Hugo Amaral/Observador

Quem preferir uma degustação de sabores do país vizinho pode pedir logo a “Coleção Espanhola”, que inclui os montaditos números 29 (bacon frito e lombo ao alhinho), 41 (o tal de hambúrguer, bacon frito, cebola crocante e molho de azeite e alho) 48 (frango, pimento verde e molho de azeite e alho), 60 (pernil, queijo ibérico e pimento vermelho) e 71 (presunto serrano, tomate e azeite em pão de cereais). Total do repasto: 5€.

100 montaditos, tapas, restaurante espanhol,

© Hugo Amaral/Observador

E, sim, também há montaditos de sobremesa, todos em pão de chocolate e a 1,50€. Como este, de biscoito e creme, acompanhado por chantili.

100 montaditos, tapas, restaurante espanhol,

© Hugo Amaral/Observador

Oitenta por cento dos produtos servidos vêm de Espanha, incluindo o pão e o próprio menu. Cada restaurante pode mudar 10 montaditos da carta e os três sócios de 27 anos já têm em mente o que querem acrescentar. “Produtos típicos portugueses, como a bifana, o prego e a alheira”. Falta conseguirem convencer o grupo espanhol.

Ao todo, o espaço dispõe de 16 mesas e 64 lugares sentados, que em breve se vão transformar em 70. Pouco para tanta procura. Os três sócios estão a tentar fazer uma esplanada, o que implica eliminar os quatro lugares de estacionamento que ficam à porta, mas até ao momento nada feito. Logo a seguir aos clientes portugueses, os espanhóis, muitos deles em Erasmus, são quem tem aderido muito.

Os vizinhos mais idosos também não falham. “Nem te contei”, diz Paulo Lima ao colega de sociedade, João Falcão. “Ontem um dos nossos vizinhos queria fazer uma conta mensal. Comia aqui três montaditos por dia e no final do mês pagava”. No 100 Montaditos não há nenhuma placa a dizer que não se vende fiado, mas o vizinho, como seria de esperar, não teve sorte.

100 montaditos, tapas, restaurante espanhol,

© Hugo Amaral/Observador

A chegada do 100 Montaditos a Portugal não é novidade, já que a estreia aconteceu no Arrábida Shopping, em Vila Nova de Gaia, em 2011. Em outubro de 2014 abriu o segundo 100 Montaditos, desta vez junto ao Polo Universitário do São João, no Porto. Trezentos quilómetros mais a sul, Paulo, João e Miguel garantiram contratualmente que seriam os primeiros a abrir um 100 Montaditos na capital portuguesa e conseguiram. Até 2016 querem abrir mais quatro: na zona do Saldanha, perto da Baixa (entre a Rua Augusta e os Restauradores), e nos centros comerciais do Colombo e do Vasco da Gama.

Nome: 100 Montaditos
Morada: Pátio do Tijolo, 61 (Príncipe Real, Lisboa)
Horário: Todos os dias das 12h00 às 24h00
Reservas: Não aceitam
Preço médio: 5€ por pessoa

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Pais e Filhos

O curriculum dos pais /premium

Eduardo Sá
108

Num mundo em que os filhos nos pedem “Pai, vê aí, no Google, se Deus existe!”, temos de reconhecer que sermos pais é aquilo que mais nos torna “reserva natural da vida selvagem”.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)