É a primeira solução mundial que integra a mecânica do multibanco numa solução para pagamentos móveis. E nasce no ano em que o Multibanco faz 30 anos. A mais recente aposta da SIBS (entidade responsável pela gestão do multibanco) dá pelo nome de MB Way e é mais uma forma para efetuar pagamentos online e offline, sem cartão. Nem moedas. Recorrendo a um smartphone ou tablet com ligação à internet.

E não se fica por aqui: com o MB Way é possível fazer transferências imediatas recorrendo apenas ao número de telemóvel da pessoa para quem se quer transferir o dinheiro. A operação é efetuada na app e não é preciso introduzir o Número de Identificação Bancária (NIB) do destinatário.

“O que nós pensámos foi: está na altura de evoluir o multibanco para uma coisa sem a qual os portugueses não vivem, que é o telemóvel. Isto é um ‘upgrade’, uma evolução daquilo que já é o comportamento e a experiência dos portugueses”, explicou ao Observador Maria Antónia Saldanha, diretora de comunicação e imagem do grupo SIBS.

A opção já está disponível nos ATM desde 25 de maio. Para aderir a esta nova solução, os consumidores devem dirigir-se a um multibanco e selecionar a opção “MB Way”, para inserirem o número de telemóvel e criarem um PIN com seis dígitos. Terminada a opção, descarregam a aplicação móvel, gratuita, para o smartphone ou tablet, onde concluem o processo de adesão. O PIN que escolhem será aquele com que vai dar o “ok” às futuras transações.

Testámos pagar com MB Way no Jumbo, em Alfragide

O grupo Auchan é o primeiro grande parceiro aderente do serviço e a partir desta quinta-feira é possível utilizar o MB Way para pagar em todas as caixas self-service das lojas Jumbo, Pão de Açúcar e Box, do país. Até 15 de julho, o grupo pretende ter concluído a integração do MB Way em todas as caixas com operadores.

O Observador testou o serviço numa das caixas de self-service do Jumbo, em Alfragide, Lisboa. Depois de ter aderido no multibanco e ter descarregado a app, fez uma compra na loja. Na hora de selecionar a opção de pagamento, escolheu a “MB Way” e introduziu o número de telemóvel no ecrã da máquina.

Depois, recebeu uma notificação no telemóvel com a informação de que tinha um “pagamento pendente”. Quando abriu a app, apareceu a informação para confirmar a operação. Bastou então introduzir o PIN de seis dígitos que criou no multibanco. A frase “Pagamento autorizado” surgiu logo a seguir, a máquina emitiu o recibo, a compra foi efetuada e o dinheiro saiu automaticamente da conta bancária.

“É nosso compromisso acompanhar as necessidades e exigências dos nossos clientes, bem como, as mais recentes tendências existentes no mercado que contribuam para agilizar, com comodidade, o processo de compra nas nossas lojas”, refere Isabelle Bouvier, administradora da Auchan Portugal Hipermercados, em comunicado.

Maria Antónia Saldanha explica ao Observador que há 12 bancos que aderiram ao serviço MB Way e que, por isso, 95% do mercado de cartões bancários está coberto por esta solução. Até setembro, os bancos estão em fase de angariar parceiros, ou seja, lojas que estejam dispostas a integrar o MB Way como forma de pagamento, online ou no espaço físico.

A opção de transferências

Destes 12, apenas cinco têm já disponível a opção para transferências interbancárias: Millennium bcp, Activobank, Novo Banco, Banco Best e BBVA. Os restantes ainda estão na fase de integração do serviço. Para fazer uma transferência é preciso que ambas as contas (a de quem transfere e aquela para onde o dinheiro é transferido) pertençam a bancos aderentes ao serviço e que o destinatário tenha já instalado o MB Way. Depois, basta introduzir o número de telemóvel do destinatário e o PIN de seis dígitos, para que o dinheiro caia na conta da outra pessoa.

Caso o destinatário não seja aderente ao MB Way, recebe um SMS com indicação para aderir ao serviço no prazo de 24 horas. Quando a adesão estiver ativa, recebe o valor. Se não o fizer, a transferência fica sem efeito.

Até ao final do ano, o MB Net também vai ser MB Way

O MB Way não requer carregamentos, não tem custos de adesão e permite utilizar o cartão de débito comum. Contudo, até ao final do ano, a SIBS também pretende introduzir a opção MB Net (um cartão de crédito virtual) no MB Way. Ou seja, tornar possível que os utilizadores possam comprar com o telemóvel em lojas que só aceitam pagamentos com cartões internacionais como o Visa ou MasterCard.

Maria Antónia Saldanha explicou ao Observador que, no caso das transferências, é o banco que define se a operação tem custos acrescidos ou não. Fonte oficial do Millennium adiantou ao Observador que nos primeiros seis meses de adesão todas as transferências são gratuitas. Depois, aquelas que se efetuam entre contas do Millennium mantém-se gratuitas e as interbancárias terão um custo “em linha com aquilo que se paga pelas vias normais”.

“Foi extremamente relevante haver uma adesão dos bancos ao serviço de forma a que esta solução seja realmente interbancária e, por isso, alcance mais utilizadores. Também é muito relevante porque são os bancos que podem cativar as redes de comerciantes para aceitarem pagamentos com este novo serviço”, explicou Rita Lourenço, diretora de cartões e meios de pagamento do Millennium bcp.

A ideia de uma solução para pagamentos móveis nasceu em 2012, mas depois de a SIBS ter analisado o mercado, chegou à conclusão que, para o serviço ser o mais completo possível, devia integrar a opção para transferências. A tecnologia tem o selo da SIBS e está a ser patenteada.

“Por detrás da tecnologia do MB Way está exatamente a mesma tecnologia de segurança que está por detrás do multibanco, onde já temos uma monitorização e uma deteção de fraude 24×7,365 dias por ano ou 366. O que significa que conseguimos identificar em tempo real todas as situações que sejam de fraude”, adianta Maria Antónia.

A exportação do conceito e da tecnologia está em aberto, quer para a SIBS quer para a Auchan. Quem serão os próximos a aderir?