Falhámos por pouco: 19 dias depois de publicarmos o artigo “Crédito à habitação. Está na hora de fixar a sua taxa de juro”, a taxa swap do euro, a referência para os financiamentos a taxa fixa, atingiu o mínimo histórico de 0,724% no prazo de 30 anos. Quem contratou um crédito à habitação a taxa fixa nessa altura pode ter conseguido um dos melhores negócios da vida.

Desde 20 de abril, a taxa swap a 30 anos mais do que duplicou – está agora a 1,597%, segundo a Bloomberg –, mas os futuros devedores não devem descartar já a opção de taxa fixa nos seus créditos à habitação. Contratar um empréstimo a taxa fixa num banco barato é, sem sombra para dúvida, melhor do que um financiamento a taxa variável num banco caro, como mostra a investigação do Observador junto dos cinco bancos cujos sítios na Internet permitem simular empréstimos de taxa fixa a dez ou mais anos.

A prestação do crédito de taxa fixa do banco mais económico é sempre mais baixa do que a prestação mais elevada dos créditos de taxa variável. O Banco BPI, a Caixa Geral de Depósitos e o Novo Banco destacaram-se nos financiamentos a taxa fixa (a dez, vinte e trinta anos, respetivamente). O Barclays foi o pior banco na taxa variável em todos os prazos analisados.

Crédito à habitação: indexada vs. fixa
Estas são as simulações de créditos de taxa fixa para uma portuguesa de 30 anos com rendimentos mensais líquidos de 1.250 euros, comparando com taxa indexada. A finalidade do empréstimo de 100 mil euros é a aquisição de um apartamento em Lisboa avaliado em 150 mil euros. Ela está disposta a ter contas ordenado, cartões de débito e de crédito, débitos diretos, banca eletrónica, seguros de vida e multirriscos.
Banco Modalidade Taxa anual efetiva revista
(encargo mensal do primeiro mês)
10 anos 20 anos 30 anos
Banco BPI Indexada 3,435%
(980,91€)
3,397%
(569,17€)
3,440%
(435,46€)
Fixa 4,405%
(1.024,80€)
5,081%
(654,14€)
5,524%
(551,88€)
Barclays Indexada 5,857%
(1.082,73€)
5,747%
(680,43€)
5,766%
(557,05€)
Fixa 6,933%
(1.133,46€)
7,297%
(764,72€)
7,343%
(652,88€)
Caixa Geral de Depósitos Indexada não concede 3,393%
(567,37€)
3,436%
(433,65€)
Fixa não concede 4,925%
(644,28€) 
não disponível
Montepio Indexada 4,157%
(1.012,66€)
3,961%
(595,90€)
4,008%
(464,15€)
Fixa 5,791%
(1.97,93€)
 não disponível não disponível
Novo Banco Indexada 4,089%
(1.010,57€)
4,029%
(600,64€)
4,064%
(468,71€)
Fixa 4,686%
(1.037,78€)
5,147%
(657,63€)
5,349%
(541,19€)
Fonte: simuladores dos bancos. Encargo mensal inclui prestação, prémios de seguros (em equivalente mensal) e comissões. Os créditos de taxa variável usam a Euribor a 6 meses, exceto no Novo Banco que aplica a Euribor a 12 meses. 19 de junho de 2015

Apesar da escalada das taxas swap desde abril – não acompanhada pelas Euribor, que são as referências nos créditos de taxa indexada –, ainda é um bom negócio contratar um empréstimo a taxa fixa.

Num prazo de 30 anos, um financiamento de 100 mil euros para a aquisição de uma casa de 150 mil euros traduz-se num encargo mensal de 468,71 euros optando pela taxa variável e de 541,19 euros na taxa fixa através do Novo Banco, por exemplo. No entanto, enquanto a prestação nunca mudará na modalidade de taxa fixa, basta que a Euribor a 12 meses suba de 0,166% para 1,432% para ficar a pagar mais na opção de taxa variável.

É possível que as Euribor permaneçam perto dos seus mínimos durante muitos meses ou anos, mas, ao longo de três décadas, devem esperar-se aumentos. Desde que foi lançada, a média da Euribor a 12 meses foi de 2,575%. A esse nível médio, o crédito a taxa variável do Novo Banco absorve 108.374 euros em juros ao longo dos 30 anos, enquanto o financiamento a taxa fixa soma 83.071 euros. É mais 30,5% em juros.

No Novo Banco é possível simular crédito de taxa fixa até 50 anos. No Banco BPI e no Barclays, a taxa fixa estende-se até 30 anos. A Caixa Geral de Depósitos não concede financiamento a taxa fixa a mais de 20 anos. Para o Montepio, o máximo é 15 anos.