O Ministério da Educação pediu ao Ministério Público para investigar os graus atribuídos pela Escola Superior de Educação João de Deus entre 2010 e 2013 para averiguar se houve prática de crime por parte dos responsáveis desta instituição de ensino superior. Havia quatro mestrados a funcionar de forma ilegal, sendo agora necessário saber também o que vai acontecer aos diplomados nestes anos.

A notícia é avançada pelo Expresso, que aponta que secretário de Estado do Ensino Superior, José Ferreira Gomes, pediu esta investigação, apontando que os alunos inscritos não saberiam que os cursos que estavam a frequentar – para subir na carreira ou poder exercer funções como educador ou professor – não estavam acreditados juntos das entidades competentes.

A decisão sobre o futuro dos alunos e dos seus diplomas deverá agora ser decidida pelos tribunais, com a possibilidade de serem anulados.