A parceira da Ernst & Young (EY) Ana Salcedas invocou o sigilo bancário para se escusar a responder às questões que os deputados da comissão de inquérito ao Banif lhe colocaram sobre a situação do banco no Brasil.

“Tenho que invocar sigilo bancário relativamente à situação do Banif Brasil”, realçou a responsável da auditora que desempenhou durante vários anos as funções de Revisor Oficial de Contas (ROC) do Banif.

“Fui informada sobre a situação [do Banif Brasil]. Mas há situações sob sigilo bancário brasileiro que me impedem de desenvolver mais esse tema”, vincou.

Ana Salcedas disse que “as perdas do Brasil podem ser vistas no relatório e contas”, sublinhando que são visíveis os resultados negativos de 180 milhões de euros nos últimos três anos.