Rádio Observador

Séries

Surpresa! Havia sexo (e muito) nos bastidores da série Marés Vivas

323

A série bateu recordes de audiências na década de 90, em grande parte pelas cenas de acção com muita sensualidade à mistura. No reencontro do elenco, os atores contaram o que passava nos bastidores.

Muitas atrizes saltaram para o estrelato depois de vestirem o famoso fato de banho vermelho

Getty Images

Autor
  • Elsa Araújo Rodrigues
Mais sobre

A série “Marés Vivas” (Baywatch, no nome original) detém o recorde de um dos programas de televisão mais vistos de sempre. A razão? Um elenco de caras bonitas e corpos bronzeados em fatos de banho vermelhos (bastante) reduzidos. A trama retratava as aventuras de uma equipa de nadadores-salvadores que vigiavam as praias de Santa Mónica, Los Angeles, na Califórnia (EUA).

baywatch cast

Créditos: Getty Images

Os corpos sexy e bem dotados, especialmente os femininos, e as cenas de ação que envolviam muitas corridas na praia — que passavam no ecrã em slowmotion e em horário nobre — tornaram-se icónicas. Oficialmente, a estrela era David Hasselhoff, que tinha interpretado Michael Knight, dono do carro K.I.T.T., na série “O Justiceiro”, mas o seu protagonismo rapidamente foi ofuscado pelas atrizes (e seus atributos) Pamela Anderson e Carmen Electra — que já haviam sido capa da revista Playboy — Yasmine Bleeth, Erika Eleniak e Gena Lee Nolin, entre outras.

geena_david

Gena Lee Nolin e David Chokachi, nos icónicos fatos de banho vermelhos. Créditos: Getty Images

Agora, a atriz Gena Lee Nolin e ator David Chokachi, que interpretava o nadador-salvador Cody Madison, revelaram num novo documentário do canal ITV sobre “Marés Vivas”, algo que os espectadores já deviam suspeitar: havia muito sexo nos bastidores.

(kneeling 2L-R) Actors Pamela Anderson, David Hasselhoff and David Chokachi w. additional cast of television series Baywatch. (Photo by Mirek Towski/DMI/The LIFE Picture Collection/Getty Images)

Michael Newman (de bigode, à esquerda, que era realmente nadador-salvador e tornou-se ator na série), Pamela Anderson (ao centro, em baixo), David Hasselhoff (de joelhos, ao centro) e David Chokachi (de joelhos, em baixo à direita) com outros membros do elenco de Marés Vivas. Créditos: Mirek Towski/DMI/The LIFE Picture Collection/Getty Images

No documentário Where are they now? The Reunions (“O que é feito deles? Os Reencontros”, em tradução literal) o elenco contou que muitas vezes o calor chegava também às relações entre os atores.

“Aprendi depressa, porque este foi o meu primeiro trabalho como atriz, que ‘se a roulote está a abanar, não batas à porta!'”, disse Gena Lee Nolin no documentário, que na série interpretava a personagem Neely Capshaw.

Por sua vez, o ator David Chokachi explicou que a equipa passava muito tempo junta, filmavam muitas cenas na praia e vestiam pouca roupa, uma mistura que dava azo a muitas paixões.

A série original passou entre 1989 e 1999 (e entre 1999 e 2001 como Baywatch Hawaii, que na décima e última temporada mudou de cenário) e teve tanto sucesso que, desde 2004 — quando o estúdio DreamWorks adquiriu os direitos — que se fala numa adaptação ao grande ecrã. O filme já está a ser rodado e tem data marcada de estreia a 19 de maio de 2017.

Nesta nova versão, Dwayne The Rock Johnson vestirá a pele de Mitch Buchannon (na série original, interpretado por David Hasselhoff); Zac Efron interpretará Matt Brody (que na televisão era vivido por David Charvet) e Kelly Rohrbach será C. J. Parker (papel de Pamela Anderson na série).

Para além do novo elenco, David Hasselhoff e Pamela Anderson também fazem aparições breves e há novidades no que ao guarda-roupa diz respeito: ao vermelho dos fatos de banho, junta-se agora o azul.

baywatch2017

Créditos: Baywatch Movie/Facebook

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)