A águia na fachada do Estádio da Luz foi removida esta quarta-feira para ser restaurada. Mas a estátua que acolhe os benfiquistas há mais de 30 anos não “voou” para muito longe.

A escultura da águia em bronze e ferro estará ao nível do chão do estádio, frente à porta 01, durante um mês e meio, informa uma fonte do clube de Lisboa. A águia vai ser submetida a uma intervenção de conservação e restauro e a equipa vai fazer uma revisão dos suportes estruturais que a seguram.

O Sport Lisboa e Benfica publicou um tweet onde mostra o processo de retirar a águia da fachada do estádio, com o auxílio de uma grua. A descrição informa que a águia “vai mudar as suas penas durante cerca de um mês, para voltar ainda mais bonita do que antes”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Como informa o clube, a escultura foi colocada no Estádio da Luz em agosto de 2003, depois de ter sido transferida do anterior estádio, e “ao fim de 13 anos torna-se necessário desenvolver uma ação de manutenção de forma a garantir a correta conservação da peça”. “Esta altura do ano apresenta-se como ideal pelas favoráveis condições atmosféricas”, consideraram as entidades envolvidas no processo de restauro.

A restauração da estátua ficou a cabo do Departamento de Reserva, Conservação e Restauro do Sport Lisboa e Benfica em parceria com a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

A escultura da águia

Símbolo do Sport Lisboa Benfica desde a sua formação, na página oficial o clube lisboeta afirma que a águia é o “símbolo da sua [do Benfica] independência, autoridade e nobreza”.

A estátua que adorna a fachada do estádio do Benfica é da autoria do escultor Domingos Soares Branco e o trabalho de construção foi iniciado no final de maio de 1985, tendo sido terminado no final de agosto do mesmo ano e colocada na fachada do antigo Estádio da Luz

A escultura de 15 metros de envergadura, 6,45 de altura e 3,6 de profundidade é composta por 325 peças de cobre que perfazem um total de 1.206 quilogramas e uma estrutura de 1.633 quilos de ferro.

Desde 1985, a peça foi retirada duas vezes, ambas no antigo estádio da Luz: uma primeira em março de 1991 para as obras de ampliação do Terceiro Anel e uma segunda vez em dezembro de 2001 devido às obras para a construção do novo estádio.