Na passada terça-feira a Samsung reuniu, em Paris, quadros da empresa, grandes clientes e jornalistas para a apresentação mundial de duas novas gamas de televisores. Chamam-se QLED TV e The Frame (a moldura) e foram dadas a conhecer num evento com a pompa e circunstância a que estamos habituados nos lançamentos dos smartphones topo de gama.

Este investimento justifica-se, nas palavras de Pedro Batista, Diretor de Marketing da área de eletrónica de consumo da Samsung Portugal, porque se trata “da próxima inovação em termos de televisão, de uma nova forma de ver televisão, de usufruir dos conteúdos e um vislumbre da integração das televisões no meio ambiente onde os consumidores se movem.”

O Carrousel du Louvre, na “cidade da luz”, foi o palco escolhido para mostrar um novo conceito de lifestyle, para marcar, nas palavras de Pedro Batista, “uma nova era de estilo e de interatividade com o consumidor.”

O novo design das QLED TV faz destes novos televisores autênticas peças de mobiliário de luxo. Podem ser colocados na parede através da tecnologia “No Gap Wall-mount” – um suporte sem espaço entre a parede e a televisão – ou assentes em estruturas bem desenhadas e funcionais, pés ou suportes que estão disponíveis como acessórios.

A simplicidade e minimalismo concretizou-se, também, num detalhe tecnológico que demorou três anos a desenvolver: um cabo ótico transparente, por onde passa toda a informação que chega ao televisor. As boxes, leitores de DVD, consolas e outros dispositivos multimédia são ligados a um interface especial – a “Connect Box” – e daí ao televisor através desse tal cabo “invisível”, que pode ter 15 metros de comprimento.

Estes novos televisores são mais do que um exercício de estilo. A tecnologia Quantum Dot foi melhorada, as QLED TV são energeticamente mais eficientes, têm mais brilho, melhor contraste e atingem praticamente 100% no volume de cor – são os maiores índices atualmente disponíveis no mercado, de acordo com a acreditação da Verband Deutscher Elektrotechnieker.

A Samsung introduziu também o “One Remote Control”. Como o nome indica, trata-se de um comando que substitui todos os outros. É discreto, fácil de usar e inclui controlo por voz em dez idiomas, incluindo o português.

Os novos QLED TV continuam a tendência do mercado de transformar a televisão numa espécie de centro multimédia. Através dos menus de fácil navegação, é possível ver vídeos no YouTube ou fotografias, ter acesso ao Netflix ou ouvir música pelo Spotify. A integração da aplicação Shazam permite saber que música está a tocar na televisão, em qualquer momento. Na Experience Zone foi possível ver, em detalhe, os principais parâmetros de inovação dos novos televisores.

16 fotos

The Frame: uma televisão que pode ser um quadro

Em Paris, a Samsung preparou uma parede com muitos quadros misturados com televisores. O desafio era distinguir uns dos outros, uma tarefa que se revelou difícil. Aliás, foi preciso esperar que as imagens dos televisores se alterassem para conseguir perceber o que era o quê.

The Frame (A Moldura”, em português) é um televisor com tecnologia QLED 4K que se “cola” à parede. Mas, em vez de vermos os contornos de um televisor convencional, esta televisão está emoldurada por uma estrutura igual a um quadro, disponível em várias cores ou numa versão personalizável pelo consumidor.

Apresentada na CES em Las Vegas, no início deste ano, a The Frame inclui a tecnologia dos QLED TV com um extra: tem um sensor de movimento que liga e desliga o modo “Art”, que oferece uma centena de possibilidades de escolha em diversas categorias, tais como paisagem, arquitectura, vida selvagem, ação e desenho. Um quadro para cada ambiente, num processo idêntico àquele que conhecemos das molduras digitais, mas em tamanho grande e com uma qualidade de imagem 4K HDR.

A linha The Frame deverá sair em abril nos EUA e mais tarde na Europa. Ainda não é conhecido o preço.

O Observador viajou a Paris a convite da Samsung Portugal.