O artista plástico peruano Fernando De Szyszlo morreu, na segunda-feira, aos 92 anos, tendo sido encontrado sem vida na sua casa, juntamente com a mulher, Liliana Yábar, de 96 anos, informaram os media locais.

Desconhecem-se pormenores relativamente às circunstâncias e causas de morte, sabendo-se apenas que uma ambulância foi chamada à residência do artista plástico para responder a uma emergência, por volta das 16h40 (22h40 em Lisboa), com a imprensa a falar da possibilidade de um acidente doméstico.

À casa, situada no distrito de San Isidro, na capital, Lima, deslocaram-se posteriormente representantes da polícia e do Ministério Público peruano.

Foi também relatada a presença de amigos próximos de De Szyszlo, como Patricia Llosa e Morgana Vargas Llosa, respetivamente, ex-mulher e filha do escritor Mario Vargas Llosa, e a ex-ministra da Cultura peruana Diana Álvarez-Calderón.

Fernando De Szyszlo, com obras expostas em museus de Nova Iorque a Madrid, é definido como um dos maiores expoentes da arte abstrata na América Latina. “Inkarri” (1968) é considerada a sua obra-prima.