Aquecimento Global

Abriu-se um buraco do tamanho da República Checa no gelo da Antártida

763

Os cientistas descobriram um novo buraco no gelo da Antártida. A polínia descoberta tem cerca de 77 mil quilómetros quadrados, o tamanho da República Checa, e não se sabe que efeito pode ter.

É a primeira vez que os cientistas registam uma polínia desta dimensão desde os anos 70

NASA/WORLDVIEW

Um misterioso buraco do tamanho da República Checa apareceu na cobertura de gelo que se forma no inverno da Antártida. A polínia (como se chamam estes fenómenos da glaciologia) foi descoberta no final de setembro por cientistas da Universidade de Toronto e do projeto de Observação e Modelação do Clima e Carbono do Oceano do Sul (SOCCOM), que se aperceberam pelas imagens de satélite.

A polínia tem cerca de 77 mil quilómetros quadrados, o que faz dela a maior observada na Antártida desde os anos 70.

Nas profundezas do inverno, por mais de um mês, temos um buraco deste tamanho na cobertura de gelo”, diz o professor de física da Universidade de Toronto, Kent Moore, ao National Geographic. “É memorável que esta polínia tenha desaparecido por 40 anos e tenho regressado”.

As águas profundas desta parte do oceano são mais quentes e salgadas do que as águas à superfícies mas as correntes fazem com que a água mais quente venha à superfície, onde acaba por derreter as camadas de gelo que se formam à superfície do oceano no inverno. Esse processo de degelo causou a polínia que hoje observamos.

Em comparação, vemos o continente africano no topo da imagem e a polínia em baixo

O inverno na Antártida dificulta a deteção e monitorização destes fenómenos. É o segundo ano consecutivo em que uma polínia se forma no gelo da Antártida, mas o de 2016 não era tão grande como este.

“Não entendemos por inteiro os impactos a longo prazo desta polínia”, explora Moore, acrescentado que mais estudos terão de ser feitos para perceber se o processo está relacionado com o aquecimento global ou com alterações climáticas ou se se trata de um fenómeno natural limitado às condições extremas da Antártida — que ainda hoje são muito desconhecidas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Os meninos à roda da propaganda /premium

Helena Matos
2.321

O menino que em 2012 chorava porque a mãe não tinha dinheiro para comprar bolachas agora quer salvar o planeta. O que mudou? A cor política do Governo. As bolachas essas continuam iguais. 

Ciência

Carreiras e micro-ondas

Gonçalo Leite Velho

A verdade é que quem tem qualidade mantém todas as reservas sobre o rumo da política de Ciência em Portugal. É que o clientelismo e o nepotismo são apenas parte de um sistema mal desenhado.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)